Gênero e sexualidade

FAISCA CONTRA CURA GAY

Faísca-Marília faz campanha de fotos junto a estudantes da UNESP contra Cura Gay

A campanha contou com diversos estudantes que se somaram à luta contra a liminar da Cura Gay.

quinta-feira 28 de setembro| Edição do dia

Na semana passada, a Justiça Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal aprovou uma liminar contra a Resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que tem como objetivo regulamentar o uso de terapias de “reversão sexual”, dessa maneira, as homoafetividades passam a ser tratadas como doença.

A Resolução 01/99 do CFP, aprovada em março de 1999, estabelece a atuação de profissionais de Psicologia na abordagem da Orientação Sexual, assim como uma conduta ética para os procedimentos que correspondem em não tratar a homossexualidade como doença. Essa decisão foi aprovada em 17 de maio de 1990 em Assembleia Geral da OMS, ao considerar a não utilização de qualquer tipo de patologização, mas sim a utilização do seu conhecimento para reflexões acerca do preconceito e para o desaparecimento de discriminações e estigmatizações.

Veja também: Justiça Federal autoriza psicólogos a tratar LGBTs como doentes

O Brasil é o país que mais mata LGBTs no mundo, a cada 28 horas um LGBT é assassinado e a expectativa de vida para pessoas trans* chega a ser por volta de 30 anos. Como demonstra os dados recentes apresentados em 2016 , após um “recorde” de mortes no ano passado por crimes de ódio contra LGBTs, essa forma de atuação dos profissionais de psicologia através da Resolução 01/99 é condizente com a realidade brasileira, pois mesmo a bissexualidade e as identidades trans ainda são consideradas como doenças.

Veja também: Os LGBTs não são doentes, doente é o Capitalismo

Nas principais capitais do país, centenas de pessoas foram às ruas se manifestar contrária a decisão da JF do DF ao aprovar a liminar.Em Belo Horizonte, centenas de pessoas realizaram um ato com beijaço contra a cura gay, no Rio de Janeiro, centenas de LGBTs e apoiadores repudiaram a liminar da “cura gay”, e em São Paulo, mais de 15 mil pessoas se manifestaram contra a liminar que quer tratar a população LGBT como doente (http://www.esquerdadiario.com.br/Grande-ato-em-SP-contra-Cura-Gay-reune-mais-de-15-mil-manifestantes).

Como viemos tratando em diversos artigos em nossa sessão de Gênero e Sexualidade sobre a questão da liminar emitida pela JF do DF na semana passada, e também sobre as mobilizações e manifestações que surgiram para exigir a sua revogação imediata, a Juventude Faísca de Marília também construiu uma campanha de fotos com os estudantes da Unesp de Marília para demonstrar seu total repúdio a essa decisão reacionária da JF do DF.

Veja algumas fotos da campanha:

Veja também o post na página da Faísca-Marília:

Queríamos agradecer especialmente ao fotógrafo trans Lorenzo Cunha, estudante de Ciências Sociais da Unesp de Marília, por se dispor a tirar e editar as fotos maravilhosamente.

Convidamos a todas e a todos para construirmos um bloco LGBT classista na Parada LGBT de Marília no domingo dia 01/10 a partir das 14h, com concentração na praça do museu de paleontologia na Av. Sampaio Vidal, nº245, Centro, às 13h. Vamos tornar a parada um ato combativo, levantando a campanha contra a liminar e todo tipo de LGBTfobia!

Essa sexta-feira, 29/09, faremos uma oficina de cartazes e de bateria para a Parada na Unesp, a partir das 17h, no saguão do prédio de atividades didáticas. Vem somar!

Exigimos a revogação imediata da decisão judicial que autoriza tratar LGBTs como doentes! Doente é o capitalismo, toda forma de exploração, opressão e violência, e não o amor!
Pela livre construção de gênero e sexualidade!

Veja também: Revogação imediata da decisão judicial que permite tratar LGBTs como doentes




Tópicos relacionados

Cura Gay   /    Marília   /    UNESP   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar