Juventude

POESIA

- FAÍSCA -

Poema inicialmente publicado no face

terça-feira 30 de agosto| Edição do dia

Sentir a adrenalina
De fugir da polícia
Sob a neblina
De gás
Me faz
Vivo!

Obrigado, companheiros, obrigado!
Nossa vitória virá, acredite!
Não ficaremos estagnados.
Pois se a polícia reprime,
Bate e judia
É porque tocamos na ferida da burguesia
E do Estado.

Obrigado.
Agora sou um ser incendiado
Dos pés a cabeça
E não esqueça:
Seremos a faísca do barril de pólvora
Do proletariado.

"Tenho em mim todos os sonhos do Mundo"
E um deles está em curso
E será consolidado




Tópicos relacionados

cultura   /    Faísca - Juventude Revolucionária e Anticapitalista   /    Porto Alegre   /    Poesia   /    Juventude

Comentários

Comentar