Educação

ESCÂNDALO

Ex-vice Diretor da Faculdade de Odontologia da USP é preso por desvios milionários no Conselho Federal

Em ação conjunta entre o Ministério Público, o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Superintendência da Polícia Federal-RJ, foi iniciada na terça-feira passada (14/06) a Operação Tiradentes para apurar desvios milionários no Conselho Federal de Odontologia (CFO).

quarta-feira 22 de junho de 2016| Edição do dia

A ação criminosa envolve corrupção, desvio de verbas, burla de licitações, superfaturamento em contratos, peculato, estelionato qualificado, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Entre os 15 mandados de busca e apreensão e os 5 mandatos de prisão temporária, consta o nome do ex-tesoureiro do CFO e Professor Titular da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), Prof. Dr. Rubens Côrte Real de Carvalho.

Foram apreendidos em vários endereços R$ 250 mil em dinheiro, além de seis carros de luxo e uma farta documentação que reforça as suspeitas de irregularidade.

As investigações começaram em 2012, quando presidentes de cinco Conselhos Regionais de Odontologia encaminharam ao Ministério Público Federal declarações subscritas por um ex-funcionário e um ex-prestador de serviços da CFO, dando conta da utilização de notas fictícias para encobrir desvios e pagamentos indevidos em favor dos conselheiros federais. A representação segue aberta e pode ser acompanhada aqui.

Há exato um ano, conforme denunciado na reportagem do SBT Brasil em 16/06/2015, três ex-conselheiros do CFO formularam nova representação ao Ministério Público, noticiando irregularidades em licitações e contratos, além de uma “farra na concessão de diárias”.

Somente em 2014 os quatro Conselheiros citados teriam tido gastos com diárias em valores que chegam a R$1 milhão. Para ter uma ideia, Rubens de Carvalho teria recebido o valor total de R$ 238.546,00 em diárias referentes a 310 dias no ano.

Como um ano tem 365 dias, sendo que destes, 104 são sábados e domingos, e no mesmo ano também tivemos pelo menos 11 feriados em dias comuns, a conclusão é que o Sr. Rubens de Carvalho, por exemplo, não teria conseguido nesse ano sequer folgar aos domingos.

Outra das várias denúncias diz respeito ao superfaturamento na reforma de uma sala federal no Rio de Janeiro de 93m² no valor de R$832 mil. As investigações estimam que essas irregularidades causaram prejuízo de mais de R$ 35 milhões à autarquia. A íntegra da representação pode ser acessada do site do Sindicato dos Odontologistas no Estado do Paraná (SOEPAR).

O Conselho Federal de Odontologia agrupa mais de 273 mil dentistas em todo o Brasil, cada um paga em torno de R$400,00 por ano pra o Conselho Regional, que repassa 1/3 desse valor para o Conselho Federal, ou seja, R$36,4 milhões.

Já o Prof. Dr. Rubens de Carvalho é Titular pela Universidade de São Paulo no Departamento de Dentística e membro pleno da Congregação da Faculdade de Odontologia da USP. Exerceu a Vice-Direção do Instituto de 2009 à 2013 na gestão do Prof. Dr. Rodney Garcia Rocha.

De acordo com o ranking de salários da USP, o regime de trabalho de Rubens seria de Dedicação Integral à Docência e a Pesquisa (RDIDP) com jornada de 40 horas semanais, no qual receberia um salário de R$24.210,00, acima do teto do Governador de São Paulo.

Além de todo esse Lattes, Rubens de Carvalho também foi Diretor-Tesoureiro da Fundação da Faculdade de Odontologia (FUNDECTO) entre 2002 e 2006 e Diretor- Presidente entre os anos de 2006 e 2010.




Tópicos relacionados

Greve das estaduais paulistas   /    Greve   /    Educação   /    USP   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar