Política

LAVA JATO

Ex-Ministro Antônio Palloci vira réu na Lava Jato

O ex-ministro Antônio Palloci virou réu nesta quinta-feira (03) após o juiz federal Sérgio Moro aceitar denúncia contra ele e mais 14 pessoas.

quinta-feira 3 de novembro| Edição do dia

As denúncias são sobre crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Entre os réus, alguns já respondem outros processos na operação Lava Jato, como o ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e Renato Duque, ex-diretor de serviços da Petrobrás.

O valor de R$ 284.696.735,92 solicitado para que seja bloqueado, segundo pedido do Ministério Público Federal à Justiça Federal, corresponde a 0,9% dos contratos firmados entre Sete Brasil e a Petrobras e também à lavagem de dinheiro. Os procuradores pedem ao Juiz Federal Sérgio Moro que em primeira instância seja pago o valor de R$ 505.172.933,10 reais caso eles sejam condenados, pois o valor corresponde ao dobro das propinas pagas aos agentes públicos envolvidos na denúncia.

Essa fase da Operação Lava Jato apura a relação do ex-ministro com o Grupo Odebrecht. Segundo o MPF, existem evidências que Palloci e Branislav receberam propinas para beneficiar a empreiteira no período de 2006 e no final de 2013, além de conversas de que participou sobre a compra de um terreno para o Instituto Lula, que foi feita pela construtora.

As suspeitas sobre o ex-ministro surgiram após delação do ex-diretor de abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, na qual o mesmo diz que, em 2010, o doleiro Alberto Youssef solicitou R$ 2 milhões da cota de propinas do PP para campanha presidencial da ex-presidente Dilma Roussef, essa solicitação teria sido feita por Palloci na ocasião.




Tópicos relacionados

Sérgio Moro   /    "Partido Judiciário"   /    Operação Lava Jato   /    Política

Comentários

Comentar