Gênero e sexualidade

POEMA 29J

Eu tenho pouco tempo de vida

Um poema sobre o dia da visibilidade trans, 29J.

terça-feira 30 de janeiro| Edição do dia

Eu tenho pouco tempo de vida
São 35 anos
Eu tenho 22
E o que me resta não é tempo

A cada 48 horas parte de mim se vai
E cada vez mais cedo.
A quem chegue aos 35 sendo taxado de doente
E excluso da sociedade
A quem nem chegue aos 22

Eu queria ser invisível até perceber que sou
Sem família, sem paz, sem casa
O corpo passa a ser o nosso lar
E como lar o modificamos
Para que atenda a nossas necessidades e desejos
Para sentir a certeza daquilo que é nosso
E estar dentro dele seja todo o conforto que se busca

O corpo trans é lar,
Em construção
As vezes em desconstrução
Desmorona

E construímos novamente
Uma luta constante em se manter de pé
Mas não só, Juntos

É estar de pé
É poder ir e vir
É saúde e permanecia
É estabilidade
É direito
É poder amar
É poder viver
É existir
Porque o corpo trans é lar
De luta, existência e resistência

Eu tenho pouco tempo de vida
São 35 anos
Eu tenho 22
E o que me resta não é tempo
Oque me resta é luta.

Pode te interessar: Consideradas doentes pelo estado, no Brasil uma pessoa trans vive em média apenas 35 anos




Tópicos relacionados

29J - Visibilidade Trans   /    Poesia   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar