Política

CELSO RUSSOMANO

"Eu brincava com as meninas", diz Russomanno sobre passado de assédio a mulheres

O candidato à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno se apresenta como defensor dos consumidores e trabalhadores. Entretanto seu passado é marcado e manchado por episódios de assédio físico e moral às mulheres, como demonstra entrevistas, vídeos e relatos. De mãos dadas com a igreja evangélica e o bispo Edir Macedo, fica mais do que claro como Russomanno defende ideais conservadores que mantém a opressão às mulheres.

quinta-feira 3 de setembro| Edição do dia

As eleições para prefeitura dos municípios se aproximam e Celso Russomanno (Partido Republicanos) é um dos favoritos nas pesquisas de intenção de voto para prefeito da cidade de São Paulo. Já desenvolvemos aqui no Esquerda Diário seu histórico como apoiador de repressão à população, envolvimento na “máfia da merenda”, autor de casos de desvio de dinheiro público, dentre outros absurdos e escândalos. Motivos não faltam para comprovar como, apesar de se apresentar como defensor dos direitos do consumidor, na realidade sempre apoiou grandes empresários, como comprova sua relação de longa data com o proprietário da RecordTV, Edir Macedo, também bispo evangélico, fundador e líder da Igreja Universal do Reino de Deus.

No histórico de Russomanno chama atenção relatos de assédio a mulheres, como ele mesmo se orgulha em apresentar. Há menos de um mês, foi entrevistado no programa The Noite de Danilo Gentili, em que relata como seus opositores, a fim de prejudicar sua imagem, utilizam um vídeo em que ele aparece entrevistando dançarinas e mulheres no carnaval, onde assedia passando a mão, a boca e fazendo comentários machistas sobre os corpos e fisionomia das mulheres.

Russomano: machista, arrogante, amigo da polícia

Esses dois vídeos de momentos diferentes da carreira jornalística de Celso Russomanno mostram muito bem o que ele representa.

No primeiro, machismo escancarado no carnaval. Assedia as mulheres, passa a mão nelas em rede nacional. Simplesmente nojento.

No segundo, com uma postura extremamente arrogante usa do típico "sabe com quem está falando", de seu poder de deputado e apresentador para humilhar uma trabalhadora negra, ameaçando-a para defender seu direito de consumidor de abrir um pacote de papel higiênico para comprar apenas um rolo. A trabalhadora, impedida de vender pelo regulamento da empresa, é ostensivamente coagida por Rusomanno, que por fim chama a polícia para ajudá-lo a intimidá-la. Uma hipocrisia imensa. Se essa mesma trabalhadora, na condição de "consumidora", chamasse a polícia pelo mesmo motivo, no mínimo terminaria ela mesma sendo levada para a delegacia. Poderia ser assediada, como Rusomanno fez no carnaval, humilhada, ou até mesmo espancada ou morta pelos policiais, que não tem pudor de fazer isso cotidianamente com a população negra nas periferias, como com Claudia, Amarildo, DG ou Rafael Braga.

Russomanno é um típico representante dos políticos milionários dos patrões, com um patrimônio declarado de quase dois milhões, uma produtora, espaço na televisão para divulgar seus preconceitos e valores reacionários. Contra esses políticos chamamos todos a construir #UmaVozAnticapitalista com a gente nessas eleições.
#Diana50200

Publicado por Diana Assunção em Terça-feira, 13 de setembro de 2016

Segundo o candidato Russomanno, seus opositores utilizam este vídeo para atacá-lo, quando na verdade obviamente sentem inveja de sua posição de estar na “companhia de mulheres gostosas”. A entrevista em que ele relata isto pode ser vista na íntegra aqui.

Sua posição machista em relação às mulheres não poderia ser muito diferente. Celso Russomanno é um dos candidatos cotados do bolsonarismo misógino para prefeitura de São Paulo. Ainda que o presidente Bolsonaro diga que não vai se meter nas eleições municipais, a capital paulista tem extrema relevância política e econômica, não sendo um detalhe quem ganha a prefeitura. Além disso, sua relação de longa data e bastante próxima com setores evangélicos como o bispo e empresário Edir Macedo, também dão base para posições reacionárias e conservadoras.

A bancada evangélica historicamente ataca os direitos das mulheres, sendo contra a legalização do aborto e condenando assim milhares de mulheres à morte por abortos clandestinos todos os anos, além de toda a opressão de gênero ao impor restrições diversas, enxergando que as mulheres devem ser donas de casa, sem direito aos próprios corpos, vidas e decisões.

Enquanto Russomanno se apresenta como defensor dos trabalhadores e consumidores, seu histórico está cheio de denúncias de como se aproveitou de sua posição para não somente assediar fisicamente, mas também moralmente, com diversos episódios relatados de ter humilhado trabalhadoras. Para que seja de fato um defensor da população pobre e trabalhadora, que é em sua maioria justamente feminina, é preciso combater o reacionarismo machista que historicamente esmaga e oprime as mulheres, restringindo-as a serem donas do lar, é preciso defender o direito ao aborto legal, seguro e gratuito, o pleno direito das mulheres aos seus próprios corpos e vidas.




Tópicos relacionados

Igrejas Evangélicas   /    Legalização do Aborto   /    Mulheres   /    Russomanno   /    Política

Comentários

Comentar