Opinião

TRIBUNA ABERTA

Estudantes relatam situação após encerramento do PIBID em diversas universidades

Veja relato de Davi Medeiros, estudante de Pedagogia no RS, que reuniu diversos relatos além do próprio, sobre o absurdo ataque do encerramento do PIBID.

sexta-feira 16 de fevereiro| Edição do dia

Sou Davi Medeiros dos Santos, acadêmico do curso de Pedagogia, na Universidade da região da Campanha, na cidade de Bagé, Rio Grande do Sul

Fiquei pensando como ia começar esse texto, pois é minha primeira vez tentando escrever um artigo ou relato para que possa ser publicada em sites de grande alcance e não uma simples postagem para o Facebook, então fiz até uma pesquisa na internet para ver se algum site tinha publicado alguma coisa referente ao assunto, para minha surpresa apenas um site NOVA ESCOLA tinha postado algo mas não era um conteúdo que defendesse a prorrogação, aí consegui afirmar mais minha conclusão que precisava fazer algum texto para ser publicado sobre a interrupção do MAIOR PROGRAMA DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA do nosso País o PIBID – PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA, já que estamos tendo um descaso da MÍDIA sobre o assunto.

Então vamos ao ponto, porque fazer um texto sobre o PIBID?
Porque esse programa está mudando muitas realidades da educação onde tem atuação, sempre temos o dever de sermos inovadores, não podemos seguir os métodos tradicionais de sala de aula, estamos em formação e com as possibilidades que podemos ver enquanto estamos no programa será muito importante para quando estivermos atuando em sala de aula como professores, pois seremos profissionais com visões diferentes, com metodologias diferenciadas, pois levaremos para a sala todas ou quase todas experiências que tivemos, podemos ser professores e professoras melhores d que apenas sair da Universidade com a formação de apenas estágios obrigatórios que não são o suficientes para entender como é a docência na prática.

O programa já tem no geral 10 anos, mas foi a partir de 2013 que teve uma abrangência maior juntamente com o lançamento do PIBID DIVERSIDADE, e desde então foram mais de 70 mil estudantes de graduação beneficiados e milhares de escolas também.

Atualmente temos mais de 60 mil estudantes espalhados pelo Brasil que dependem dessa bolsa para se manter na instituição e para muitos a bolsa de R$ 400 é o único valor financeiro que tem como que irão ficar esses estudantes desamparados financeiramente, mas a CAPES e nem o MEC ficam sensibilizados com esses acadêmicos e acadêmicas que talvez tenham que também interromper seus estudos porque mesmo não sendo por questões financeiras o Diretor da CAPES não prorrogou o edital atual até o começo das atividades do novo edital que será lançado em março com início das atividades para agosto.

São milhares de escolas que perderam esse contado desde o começo do ano letivo, onde se consegue ter um contato mais longo com quem vai ser beneficiado com as atividades dos pibidianos e pibidianas de diversos cursos em toda educação básica.

É vergonhoso ver o parlamento em todas suas esferas, municipais, estaduais e federais, em quase toda sua totalidade calada com a interrupção do PIBID, mesmo aqueles que “defendem” uma educação de qualidade para todos brasileiros e brasileiras, é indignante que os meios de comunicação não dê atenção para um projeto que funciona na Educação Brasileira.

Eu, Davi Medeiros, acredito que todo estudante de licenciatura, tinha que ter o direito de acesso ao PIBID, pois é fundamental para que tenhamos uma formação melhor, no sentido que poderíamos unir mais a teoria e prática, assim buscando inovações para a Educação.

Deixo aqui meu apelo pelos demais bolsistas, que o GOVERNO FEDERAL (MEC/CAPES) revejam a sua decisão em não ter renovado o edital de 2013 até o início das atividades do novo edital, que pensem um pouco nos mais de 60 mil estudantes e mais de 5 mil escolas que são beneficiadas com o PIBID.

E para não ficar apenas em minhas palavras em um grupo da rede social em que tem diversos estudantes dos mais variados locais do País solicitei que enviassem seus relatos sobre a importância da experiência com o programa.

Veja aqui mais relatos sobre a interrupção do PIBID:

“Graduando do curso de Música (Licenciatura) pela Universidade Federal do Cariri - UFCA. Estou a prestar este depoimento por enorme gratificação que tenho ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID, pois, por mais que eu tenha disciplinas como Estágio I, II, III e IV. Estas não me possibilitaram um encontro no ensino, devo admitir que já pensei em desistir da licenciatura, até surgir a oportunidade de ser bolsista do PIBID, onde tive uma relação mais direta com uma escola, uma relação mais próxima dos alunos, onde não temos somente aulas, oficinas ou coisas do tipo, nós nos identificamos como um grupo em busca do conhecimento e da experiência de vida por meio da música
Isaac Helder Alves Silva – 7º Semestre - Música (Licenciatura) – UFCA – Bolsista PIBID.”

“Participar PIBID foi observar bem de perto a realidade ocorrente na escola. Diferente dos estágios obrigatórios, o PIBID permite o desenvolvimento e o acompanhamento de forma mais intrínseca, permitindo o planejamento de atividades, buscando superar os possíveis problemas que podem ocorrer. Essas atividades muitas vezes tiram os alunos da rotina da sala de aula e promovem uma nova visão, além de ajudar ao professor da disciplina que muitas vezes não possui tempo ou estímulo para planejar tais atividades. Além disso, ajuda com o medo de encarar as turmas, medo das perguntas e no aprimoramento da didática em sala de aula. Assim, com o PIBID permitiu o aumento do desejo de lecionar e com ele observei alguns impactos, tanto negativos (falta de infraestrutura e materiais, por exemplo) como positivos (diminuição de um possível choque de realidade ao iniciar a vida docente e interações pibidianos-alunos geralmente com saldo positivo e respeito mútuo, por exemplo).”
Reginaldo Júnior – Ciências Biológicas – Unicap – Recife PE – Bolsista PIBID

“O Pibid foi importante na minha formação pois meu deu oportunidade de concluir meu ensino superior, me ofereceu condições de me manter na Universidade, me preparou para o mercado de trabalho, me auxiliou enquanto estive desempregado e preparou um campo onde pude atuar em intervenções, cumprindo o papel de professor, pude experimentar a realidade em sala de aula absorvendo e me iniciando como futuro docente, estou no último semestre a continuação do Pibid significaria pra mim uma continuação de projeto de vida, algo que precisa continuar. #prorrogapibid”
Nelson Neto – Matemática – Pesqueira Pernambuco – Bolsista PIBID.

“Na minha vida acadêmica, o PIBID foi o motivador e responsável por toda a experiência que adquiri nesses três anos como bolsista. O PIBID nos coloca dentro da escola onde passamos a conviver com a realidade e as dificuldades que um professor suporta. Através do PIBID conheci e amei ser professora, me trouxe felicidade, alegrias e conhecimento. Somos todos PIBID e isso ninguém pode nos tirar! #FICAPIBID”
Betânia Ferraz – Bagé Rio Grande do Sul – Urcamp –– Bolsista PIBID.

“Estou no último ano do curso de Letras Português/Inglês, sou bolsista do PIBID desde 2015, em um curso com uma carga horária que mais parece integral, com estágios, horas complementares e tarefas cotidianas que parecem nunca terem um fim. Com esse peso do curso nas costas é quase impossível um acadêmico trabalhar ou gerar renda extra fora da universidade, já que como citei anteriormente, o curso ocupa 95% de nossas atividades durante a semana. O projeto agrega muita importância em nossa formação como futuros docentes, nos colocando frente à realidade da educação dentro das escolas em âmbito público. Tirar o projeto num momento como este que está a educação no país, onde a mesma tende a ficar ainda mais decadente e escassa por conta de um desgoverno que não investe em educação e desvaloriza o profissional da área, é o mesmo que desamparar milhares de pessoas que necessitam de uma educação de qualidade, já que todos os dias pagam milhões em impostos. Não são só R$400, é a educação ficando cada vez mais adormecida e desvalorizada por quem à "lidera".”
Beatriz Santos Silva da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) do Campus de Cornélio Procópio PR – Bolsista PIBID.

“Iniciei meu curso em licenciatura há 2 anos. Desde o início tive a oportunidade incrível de participar do PIBID. Estar atuando dentro desse programa mudou completamente minha visão sobre a educação, o ensino e a escola. Com toda a certeza a bolsa me ajuda a permanece na Universidade, assim como tem ajudado outros tantos bolsistas. A proximidade com a escola, com os alunos e professores da Educação básica, além dos inúmeros momentos de formação pedagógica tem construído em mim novos sentimentos e esperanças sobre a escola. A interrupção do PIBID afetará todas as escolas que tem parceria conosco, irá fragilizar nossa permanência na Universidade e também trará mais instabilidade para o programa. #ProrrogaPibid”.
Guilherme Achterberg – Química Licenciatura – Santa Maria Rio Grande do Sul – UFSM – Bolsista PIBID.

“Estou no PIBID faz 3 anos, e nesse 3 anos a experiência me possibilitou a enxergar a licenciatura de outra maneira, uma maneira maravilhosa, a partir das minhas experiências no Pibid eu consegui ter uma visão sobre qual área eu quero atuar, que é ser uma professora de educação básica! E fico eternamente grata por participar desse programa que tem uma importância muito grande na minha vida tanto profissional e pessoal, e seria uma pena que acabasse, pois sei o quanto ele acrescentou na minha vida acadêmica, e pessoal pelas amizades que eu fiz e pelas escolas em que realizei o meu trabalho com carinho! Seria ótimo se todos os alunos de licenciatura tivessem essa oportunidade.”
Daniele Oliveira Freire, Educação Física, Unitau - Universidade de Taubaté – Bolsista PIBID.




Tópicos relacionados

PIBID   /    Educação   /    Opinião

Comentários

Comentar