Educação

RANKING DO ENEM

Estudantes que ocuparam escolas têm desempenho acima da média

Os estudantes secundaristas que foram vanguarda das ocupações de escolas no ano passado no estado de São Paulo, na luta contra o ataque a educação pública promovido pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB), tiveram desempenho acima da média nacional na prova do Enem.

sexta-feira 7 de outubro| Edição do dia

Duas das escolas estaduais que foram vanguarda das ocupações, Fernão Dias e Diadema, alcançaram nota acima de 500 na prova. Com uma alta taxa de participação, muitos dos secundaristas que protagonizaram a luta contra o ataque ao direito de toda a juventude poder estudar, deram novamente o exemplo.

Entretanto, as notas no Enem são apenas um elemento, não mostram toda a qualidade que foi o processo de luta que juventude passou. Desde a organização de todos os setores da escola à resistência contra a repressão policial, mostraram um modelo de educação que vai além dos resultados em provas. O exame ocorreu poucas semana antes da primeira ocupação, o que é mais uma prova de quem são os inimigos da educação. Mesmo com a educação pública sucateada, o governo do PSDB buscava atacar o pouco que a juventude tinha acesso.

O governador do PSDB que ameaçava fechar 94 escolas com o objetivo de demitir professores e funcionários, cortar gastos do estado com a educação e abrir portas para a privatização, foi vencido pela força da mobilização estudantil que eletrizou o estado. A luta serviu de exemplo para milhares de estudantes de todo o país, culminando numa onde de ocupações em defesa da educação de norte a sul. “A escola é nossa” é o marco da luta por um direito básico que é o acesso universal a educação.

Hoje os ataques a educação pública ainda estão na ordem do dia, com ataques pautados pelo governo golpista, como a PEC 241 e a reforma do ensino médio. No estado do Paraná já passam de 42 escolas ocupadas contra mais este ataque a educação pública.




Tópicos relacionados

Educação   /    Juventude

Comentários

Comentar