Educação

EDUCAÇÃO

Estudantes pós-graduandos da PUC/SP repudiam corte de bolsas do CNPq

quarta-feira 16 de agosto| Edição do dia

Reproduzimos nota pública dos estudantes dos Programas de Estudos Pós-Graduados da PUC/SP

"Nós, alunos(as) pesquisadores(as) de mestrado e doutorado da PUC/SP, reunidos(as) no dia 14 de agosto de 2017, vimos por meio deste, manifestar nossa preocupação face as notícias recentemente veiculadas em canais da grande mídia a respeito da possibilidade do não pagamento das bolsas do CNPq a partir do mês de setembro de 2017.

A pesquisa científica é a marca do investimento em novas descobertas e que busca, através dos conhecimentos produzidos, a melhoria das condições de vida de indivíduos e grupos. Revela o investimento que um país faz em seu desenvolvimento social e humano, trabalhando para a formação de pesquisadores(as) e de estudos científicos que avancem na direção de uma sociedade mais justa. Neste sentido, os programas de bolsas das agências de financiamento, especialmente aqueles ligados ao governo federal, se consolidam como importantes ferramentas para concretizar este objetivo, através da mobilização de recursos para iniciação científica, pós-graduação e projetos de pesquisa vinculados a universidades e centros especializados.

Muitos programas de pós-graduação, bem como milhares de projetos de pesquisa, apenas se tornam possíveis mediante o financiamento de bolsas para docentes, técnicos(as) e estudantes de graduação e pós-graduação. A suspensão do pagamento das bolsas acarretaria, categoricamente, na inviabilidade da pesquisa científica em diversos espaços, colocando em risco a própria existência de programas de pós- graduação e da pesquisa científica no país.

Para a PUC/SP, que atualmente possui cerca de 60% de seus pesquisadores(as) com bolsas CNPq/CAPES, o corte, redução ou atraso no repasse dos valores de bolsa significa substantivo risco para manutenção da excelência acadêmica de seus programas de pós-graduação. Para os(as) estudantes, em particular, o corte, redução ou atraso no repasse das bolsas resultaria em impedimentos concretos para sobrevivência.

O corte de recursos para a pesquisa no Brasil integra o conjunto de ataques aos direitos e políticas sociais protagonizados pelo ilegítimo governo Temer expressos em ações como as contrarreformas da legislação trabalhista, da previdência e da PEC 95/2015 que limita os gastos públicos em áreas de fundamental importância.

Nesse sentido, repudiamos qualquer possibilidade de não pagamento, atraso ou redução da quantidade ou de valor das bolsas de estudo, conforme notícias amplamente veiculadas na mídia em geral e para as quais, as notas oficiais do CNPq pouco respondem ou esclarecem os passos futuros. Do mesmo modo, repudiamos o aumento dos gastos públicos para o pagamento da dívida pública que só em 2017 já abocanhou 55% do orçamento geral da união. Não podemos permitir que o país sofra os efeitos de decisões tão drásticas sobre os investimentos púbicos e que afetam sobremaneira sua soberania, sua população e serviços de extrema relevância para o futuro, entre os quais se insere a pesquisa científica.

São Paulo, 15 de agosto de 2017.

Estudantes dos Programas de Estudos Pós-Graduados da PUC/SP"




Tópicos relacionados

PUC-SP   /    Educação   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar