Estudantes ocupam câmara dos vereadores contra cortes na educação e cultura em São Caetano do Sul no ABC

Na ultima sessão realizada no dia 15/08 ocorreu uma segunda mobilização e ocupação da plenária na câmara dos vereadores do município de São Caetano do Sul, pelo coletivo Unidos Somos Mais Fortes composto pelos estudantes da FAPSS (Faculdade Paulista de Serviço Social de São Caetano do sul), USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), estudantes dependentes do AEC (Auxilio Educacional Complementar), estudantes da cultura FASCS (Fundação das Artes de São Caetano do Sul), munícipes, independentes, juventude por mais direitos e MRT, diante do corte de bolsas de estudo na educação e cultura.

quinta-feira 17 de agosto| Edição do dia

A presença dos estudantes resultou em uma paralisação da sessão, com o intuito de fazer pressão na gestão atual do Prefeito José Auricchio Júnior (PSDB).

NÃO AO CORTE DE BOLSAS!

O coletivo dos estudantes tem como pauta a reivindicação das bolsas e a compensação retroativa das mensalidades.
Os cortes realizados nas políticas publicas, é advinda da crise econômica nacional, que são medidas de congelamento de investimentos para acabar com a dívida pública do país, mas na verdade são cortes nos direitos da classe trabalhadora extinguindo direitos históricos conquistados ao longo dos anos.

QUEREM DESCARREGAR A CRISE EM NOSSAS COSTAS

O Município de São Caetano do Sul vive reflexos das reformas do governo GOLPISTA de Michel Temer diante da aprovação da PEC 55 pelo congresso nacional em dezembro de 2016, tendo como resultado a suspensão de bolsas de estudo para educação superior e cultura desde 21 de março de 2017 após projeto votado na Câmara dos vereadores.

A plenária foi interrompida através de palavras de ordem ‘’ EU PAGO NÃO DEVERIA, EDUCAÇÃO NÃO É MERCADORIA’’, onde o presidente da câmara Pio Mielo (PMDB), fez pressão para que fosse feito silêncio, pedindo assim o apoio da GCM.

A “Suposta oposição” de Jander Lira (PP) e a base da gestão do PSDB, Tite Campanella (PPS) garantiu aumento de recursos nas bolsas da FASCS, por pura pressão do coletivo, se comprometeram a aprovar por unanimidade um projeto no qual não se sabe de quem é a autoria e baseado nas falácias da oposição, visto que o as propostas contidas no documento não foi repassado com clareza e será pautado na sessão extraordinária na próxima terça-feira dia 22 de agosto na Câmara Municipal de São Caetano do Sul.

Como um ‘’cala boca’’ ao coletivo e uma suposta vitória parcial com a aprovação do projeto que atribui uma parcela de bolsas para a instituição FASCS , a ‘’oposição´´ - promovera uma audiência pública que será realizada no dia 31 de agosto na Câmara Municipal de São Caetano do Sul – Avenida Goiás, 600 ás 19h30, para que o coletivo tenha voz para expor os problemas vivenciados na gestão atual (PSDB), já que foi negado qualquer tipo continuidade a manifestação, com ameaças a repressão da GCM.

Fica evidente que a suposta ‘’oposição’’ quer manobrar a luta dos estudantes, deslegitimando a manifestação, onde na verdade compactua com a situação, e seus interesses capitalistas em comum.

É inegável que a manifestação do último dia 15 deixou clara a insatisfação dos estudantes, os interesses políticos foram evidenciados pela ‘’oposição’’, ficando omisso frente as cobrança de responsabilidade das autoridades públicas.
Não nos calaremos, diante das estratégias de enfraquecimento desse sistema que NÃO NOS REPRESENTA.

Exigimos:
Retomada das bolsas em geral;
Anistia das dívidas retroativas por conta dos cortes;
Auditoria dos gastos públicos com participação dos munícipes em horários compatíveis com as jornadas de trabalho;

QUE PAGUEM OS EMPRESÁRIOS E OS POLITICOS CORRUPTOS

É necessário que neste momento a classe trabalhadora e a juventude, unam forças para combater estes ataques, somente com um contínuo enfrentamento poderemos mudar esta situação para construção de uma base organizada anticapitalista e revolucionária contra este sistema e suas reformas e qualquer forma de exploração e opressão, não podemos aceitar que nosso direito de estudar seja negado, que os capitalistas paguem pela crise que eles mesmos criaram!!!




Tópicos relacionados

Câmara dos Vereadores   /    Educação

Comentários

Comentar