Juventude

Estudantes do IFCH na Unicamp querem saber: quem mandou matar Marielle Franco?

Diante de 1 ano sem respostas sobre quem mandou matar a vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, Marielle Franco, estudantes do IFCH, que vieram repudiando esse brutal assassinato desde o ano passado, mais uma vez se colocam a exigir justiça à Marielle questionando sobre quem foram os mandantes do crime.

quarta-feira 13 de março| Edição do dia

Diante de 1 ano sem respostas sobre quem mandou matar a vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, Marielle Franco, estudantes do IFCH, que vieram repudiando esse brutal assassinato desde o ano passado, mais uma vez se colocam a exigir justiça à Marielle questionando sobre quem foram os mandantes do crime. Diferente do que diz o delegado responsável pela investigação, sabemos que foi um crime político, que escancara qual o sentido do golpe institucional de 2016, da intervenção federal no RJ e do projeto de país defendido Bolsonaro, que é aprofundar ainda mais a violência policial aos negros, trabalhadores e a esquerda.

No ano passado, no dia em que Marielle foi assassinada, os estudantes do IFCH junto ao Núcleo de Consciência Negra da Unicamp realizaram um grande ato em repúdio, já anunciando que não iríamos esquecer Marielle e que ela seguia viva em cada uma de nossas lutas. Depois de 1 ano sem respostas, os estudantes também estarão em bloco no ato no centro da cidade de Campinas para exigir justiça a Marielle. O Esquerda Diário está organizando imagens em todo o país de todos aqueles que queiram saber a resposta a essa pergunta e desde a chapa minoritária do CACH que carrega o nome de Marielle e Moa do Katendê no nome, foi possível tirar fotos nas salas de aula e atividades exigindo respostas sobre os responsáveis por esse crime.

manifestação no IFCH em 15 de março de 2018 em homenagem a Marielle

Veja abaixo a nota da chapa minoritária do CACH 2019 “Por Moas e Marielle”.

MANIFESTAÇÃO POR JUSTIÇA À MARIELLE

No dia 14 de março completa-se um ano do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes no Rio de Janeiro. Todos ao centro de Campinas para a manifestação, às 17h30, no dia 14!

Quem mandou matar Marielle?
Essa é a pergunta que todos buscamos resposta sobre o assassinato político de Marielle Franco, mulher negra, LGBT, nascida na favela da Maré e vereadora que lutava contra a violência policial nos morros cariocas, e Anderson Gomes em meio à intervenção federal do golpista Michel Temer em 2018. Após 1 ano, ligação do presidente reacionário Jair Bolsonaro e seu clã com milicianos envolvidos no caso, tirando fotos e sendo vizinho dos PMs detidos por serem os suspeitos dos disparos. Do “pacote anticrime” de Moro ao apoio às milícias, Bolsonaro relega assassinatos pelas mãos da polícia e aumenta a perseguição do Estado a lutadores e à juventude negra.

Queremos saber quem são os mandantes desse crime que o Estado racista preserva com suas investigações arrastadas! Não será o Judiciário que encarcera a juventude negra, que bancou o golpe e a eleição de Bolsonaro que irá vingar Marielle! Por isso, precisamos construir uma forte mobilização para lutar por uma investigação independente que tenha acesso a todas as informações, realizada pelos movimentos sociais, sindicatos, parlamentares do PSOL e juristas populares já!

Chamamos todas e todos à Manifestação Por Justiça à Marielle que acontecerá no Largo do Rosário, às 17h30, no dia 14
#MariellePresente #MarielleVive




Tópicos relacionados

1 ANO SEM MARIELLE   /    Marielle Franco   /    Campinas   /    Jair Bolsonaro   /    Unicamp   /    Juventude

Comentários

Comentar