Gênero e sexualidade

MACHISMO

Estudantes do Colégio Pedro II fazem ato contra assédios na escola

Reproduzimos matéria publicada no site do Sindicato dos Servidores do Colégio Pedro II (SINDSCOPE), do Rio de Janeiro.

segunda-feira 11 de abril| Edição do dia

Fotos: facebook Grêmio Marcos Nonato da Fonseca/ Zilda Pavão

IMPRENSA SINDSCOPE

Estudantes do Colégio Pedro II, no campus Humaitá II, afirmam que casos de assédios físicos e psicológicos são recorrentes no local. É o que foi denunciado na manifestação que fizeram na quinta-feira (7), quando exigiram da direção da escola medidas que revertam esse quadro.

O ato “Todas Por Todas”, organizado pela Frente de Mulheres do Grêmio Marcos Nonato da Fonseca, teve exposição de cartazes com críticas ao que está acontecendo e chegou a interromper por alguns momentos o trânsito próximo ao colégio. Chamou a atenção para o problema e repercutiu em alguns veículos de comunicação, além das redes sociais.

Carta divulgada pela Frente de Mulheres do Grêmio revela um quadro preocupante. “Diariamente, vivenciamos situações de assédio e abuso (tanto físico quanto psicológico) dentro do ambiente escolar. Há algumas semanas, viralizou nas redes sociais o relato de alunas que já não aguentavam mais a convivência com um aluno que as assediava e agredia desde o 7º ano, aluno esse maior de idade”, diz trecho do documento.

Segundo a carta, tal aluno tinha como prática “trancá-las em sala e encoxá-las nos intervalos”, enviar mensagens de cunho sexual e ser agressivo fisicamente com uma aluna específica. As estudantes criticam a solução encontrada pela instituição para o caso: transferir o aluno para outro campus – o que, na opinião delas, só muda o local do problema.

A Frente das Mulheres afirma ainda que há casos de assédio envolvendo professores, sobre os quais cobram que sejam abertas investigações. Ao final do documento, prometem se manter mobilizadas: “Não aguentamos e não admitiremos mais nenhum tipo de assédio, violência e abuso, seja verbal ou físico, dentro e fora desse colégio. Não vamos nos calar enquanto todas nós não se sentirem seguras e plenamente satisfeitas dentro de um ambiente tão nosso, que é a nossa escola”.

Veja, abaixo, a carta divulgada pela Frente de Mulheres do Grêmio do Colégio Pedro II, no campus Humaitá II.




Tópicos relacionados

Colégio Pedro II   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade   /    Juventude

Comentários

Comentar