Juventude

IFCH - UNICAMP

Estudantes do CACH paralisarão contra aumento no bandejão e ataques de Knobel e Alckmin

Em uma assembléia com mais de 100 estudantes dos cursos de Ciências Sociais e História, foi aprovada por unanimidade uma paralisação para a próxima terça-feira, 25, contra o aumento no bandejão e os ataques de Knobel e Alckmin à Unicamp.

Ítalo Gimenes

Campinas

quinta-feira 21 de setembro| Edição do dia

Nessa terça-feira ocorrerá a votação no CONSU do pacotão de cortes proposto pela reitoria do Knobel, dentre eles o aumento no bandejão, o fim da reposição de quadros docentes e de funcionários, dentre outros ataques.

Saiba mais: Reitoria da Unicamp quer dobrar o preço do bandejão e atacar os trabalhadores

No início da assembleia, Natália Mantovan, ecetista de Campinas e militante do movimento Nossa Classe, informou os estudantes sobre a greve nacional de Correios contra a privatização e a Reforma Trabalhista que teve início essa semana.

Em seguida debateu-se o financiamento das universidades estaduais paulista, o ICMS e a necessidade dos estudantes lutarem pela abertura do livro de contas da universidade para que toda comunidade acadêmica possa saber aonde que está a crise na Unicamp.

No mesmo sentido, foi remarcada a importância do debate orçamentário não estar descolado de uma preocupação mais ampla dos estudantes apresentarem uma alternativa política, um novo projeto de universidade que se oponha ao projeto sucateador e terceirizador a serviço dos empresários que promove o CONSU e a reitoria.

A implementação das cotas-étnico raciais está próxima, de modo que é fundamental que os estudantes lutem para garantia de uma inclusão verdadeira, com garantia de permanência estudantil, em defesa do bandejão. Esse ataque pode ser só o começo de uma política de destruição da permanência estudantil, fundamental para que as cotas promovam uma inclusão de fato.




Tópicos relacionados

Unicamp   /    Juventude

Comentários

Comentar