Educação

GREVE DE PROFESSORES

Estudantes da letras apoiam a greve dos professores municipais de SP

Estudantes do curso de letras da USP tiram fotos em apoio a greve de professores municipais de São Paulo

terça-feira 13 de março| Edição do dia

Durante essa segunda-feira, jovens da juventude Faísca-Anticapitalista e Revolucionária impulsionaram uma campanha de fotos no curso da letras USP em solidariedade a greve dos professores municipais de São Paulo. No dia 8 de março, dia internacional da mulher, onde em todo mundo ocorreram diversos atos e greves, os professores do município de São Paulo - uma categoria majoritariamente feminina - iniciou sua greve contra o Projeto de Lei nº 621/2016, inicialmente do ex prefeito Haddad e “aprimorado” pelo atual prefeito João Dória, que institui o Regime de Previdência Complementar na Prefeitura de São Paulo/Sampaprev, na prática, a versão municipal da reforma federal da previdência, que Temer não conseguiu aprovar e agora será levada à frente por cada golpista nos municípios que governam, como na proposta inicial.



Se aprovado, esse projeto constituirá um grande ataque ao direito de aposentadoria dos servidores municipais de Sâo Paulo, e será utilizado por Dória como um exemplo do que ele poderá fazer a nível nacional, para se cacifar como candidato a presidência num cenário onde a burguesia se vê cada vez mais divida, sem um nome forte para se apresentar na corrida eleitoral de 2018. Mas por outro lado, se a luta dos professores municipais triunfa, pode ser uma inflexão no cenário nacional que levará a classe trabalhadora e a juventude a perceber que é possivel enterrar de vez a reforma da previdência de Temer e qualquer outro político burgues, podendo ser uma injeção de animo que permita rearticular a luta pela anulação da reforma trabalhista, contra a continuidade do golpe institucional por meio da retirada do direito do povo decidir em quem votar com a condenação arbitrária de Lula e contra a intervenção federal no Rio de Janeiro.



Como futuros professores, nós estudantes de letras precisamos em primeiro lugar nos solidarizarmos com os professores em greve, entendendo que a luta deles contra a reforma da previdência de Dória e em defesa da educação, é também parte da nossa luta. Por isso nós da juventude Faísca damos início a essa campanha de fotos, para que nossos colegas de curso possam conhecer e apoiar essa luta. Buscaremos as mais diversas formas de expressar nossa solidariedade aos professores municipais, seja fazendo com que nossos colegas conheçam e debatam sobre essa luta. Seja buscando meios de apoia-los, com fotos de solidariedade e se necessário buscando arrecadar um fundo de greve para professores municipais. O nosso centro acadêmico, o CAELL e o DCE livre da USP deveriam colocar todas as suas forças para que essa luta fosse conhecida pelo conjunto dos estudantes, passando nas salas de aulas, organizando panfletagens e atividades com o professores municipais e debatendo com cada estudante por que a luta deles também é parte da nossa luta.



Confira o álbum completo aqui




Tópicos relacionados

Greve Professores Municipais SP   /    Sampaprev   /    Professores São Paulo   /    Greve professores SP   /    Educação   /    USP   /    Juventude   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar