UFSC

Estudantes da UFSC realizam ato exigindo não punição dos lutadores pela educação

Exigindo que a Reitoria da UFSC cumprisse com a deliberação do Conselho Universitário pela publicação de uma portaria que garante que os estudantes que hoje estão em greve contra o Future-se e os ataques na educação e pesquisa do governo não sejam punidos, um ato foi chamado para essa terça-feira em frente a Reitoria. O documento está pronto desde o dia 02 desse mês, mas a reitoria ainda não publicou.

terça-feira 8 de outubro| Edição do dia

Estudantes da UFSC realizam ato exigindo não punição dos lutadores pela educação

Exigindo que a Reitoria da UFSC cumprisse com a deliberação do Conselho Universitário pela publicação de uma portaria que garante que os estudantes que hoje estão em greve contra o Future-se e os ataques na educação e pesquisa do governo não sejam punidos, um ato foi chamado para essa terça-feira em frente a Reitoria. O documento está pronto desde o dia 02 desse mês, mas a reitoria ainda não publicou.

A Universidade Federal de Santa Catarina vem sendo linha de frente nos processos de mobilização, após a realização de uma assembleia geral universitária dos três setores a comunidade universitária ter rechaçado o projeto Future-se e os cortes na educação e pesquisa, em assembleia geral dos estudantes foi deliberado greve que vem se mantendo ativa, com participação de setores jovens expressando o fenômeno da juventude que se levantou contra Bolsonaro no início desse ano em atos massivos.

As reitorias das universidades federais em sua ampla maioria também se declararam contrárias a esse projeto da extrema-direita que a autonomia universitária, principal reivindicação desse setor, e abre portas para o fim do ensino público superior no país. Mas pra que seja possível derrotar Bolsonaro e esse projeto de conjunto é preciso garantir a cada estudante, professor e trabalhador das universidades a ampla participação nos espaços e fóruns deliberativos, assim como nos atos e manifestações, isso feito através do não corte de ponto, liberação das aulas e que não haja nenhum tipo de prejuízo na formação acadêmica.

É preciso ampliar ainda mais processos como o da UFSC por todo país, por isso nós do Esquerda Diário e da Juventude Faísca nos solidarizamos com os companheiros em luta e nos incorporamos ao seu chamado para que a UNE e a ANPG coordenem uma greve nacional da educação com assembleias em todas as universidades e um forte plano de lutas unificando a juventude aos trabalhadores em defesa da educação, contra a devastação ambiental causada pelo capitalismo e todo projeto de ataques do golpe institucional, precarização do trabalho e das nossas vidas.

Veja também:




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Juventude    /    UNE   /    Greve   /    Faísca - Juventude Revolucionária e Anticapitalista

Comentários

Comentar