Juventude

UFRGS

Estudantes da UFRGS realizarão ato contra Sartori e Marchezan na terça

Na última Plenária da UFRGS, impulsionada pelo Comitê de Apoio à Greve da Educação, dezenas de estudantes da UFRGS discutiram a construção de um ato na universidade contra os ataques do prefeito de Porto Alegre e do governador do Rio Grande do Sul, ambos parceladores de salário, mas também contra os ataques da reitoria articulados com o governo Temer. O ato ocorrerá amanhã (terça, 17 de outubro), às 17h, com concentração na frente do RU Centro.

segunda-feira 16 de outubro| Edição do dia

A cidade de Porto Alegre passa por um momento de luta muito importante de servidores municipais e rodoviários contra o parcelamento de salário e a ameaça de privatização da Carris, empresa de transporte público, do governo do tucano Marchezan, assim como, estadualmente, o governo de Sartori também parcela os salários dos professores atacando diretamente a educação pública.

Nesse sentido, o reitor Rui Oppermann também ataca estudantes e trabalhadores dentro da universidade, jogando os cortes do governo golpista de Temer nas costas dos que mais precisam. Os ataques contam com a “modernização” dos Restaurantes Universitários, em que as cozinhas seriam fechadas, assim como os caixas, para automatizar parte fundamental e demitir vários trabalhadores, que já têm condições péssimas de trabalho por conta da terceirização. Para diretamente afetar os estudantes, Oppermann quer o fim da Casa do Estudante, minando a permanência estudantil numa universidade pública com avisos prévios de despejos.

Com a fundação do Comitê de Apoio à Greve da Educação, os estudantes podem se mobilizar e se juntar às lutas latentes em todo o Rio Grande do Sul, já que o DCE, cuja gestão é dirigida pelo PT e pela UJS (juventude do PCdoB) não demonstra interesse algum em mobilizar os estudantes para lutarem pela educação. Mesmo essas correntes estando na direção dos sindicatos em greve (CPERS e Simpa), preferem deixar os estudantes de fora da luta, logo num momento crucial, onde a unidade das lutas pode levar a derrota destes governos.

Assim, para unificar o ódio contra os ataques dos governos e da reitoria, será realizado, a partir da auto-organização dos estudantes independentes ao DCE, um ato amanhã às 17h em frente ao RU Centro para derrotar Oppermann, Sartori e Marchezan.




Tópicos relacionados

Greve Municipários Poa   /    Crise na Educação   /    greve geral   /    Marchezan   /    Sartori   /    UFRGS   /    Greve Professores RS   /    Greve   /    Educação   /    Porto Alegre   /    Juventude

Comentários

Comentar