Educação

REFORMA TRABALHISTA

Estudantes da Estácio se mobilizam contra as 1200 demissões de professores no RJ

O Esquerda Diário esteve em Campo Grande para apoiar e participar da manifestação de estudantes do Campus West Shopping, contra a 1200 demissões fundamentadas pela Reforma Trabalhista.

sexta-feira 8 de dezembro de 2017| Edição do dia

Estudantes do campus West Shopping da Estácio se mobilizaram hoje em Campo Grande, zona oeste do Rio, contra as 1200 demissões de professores. O objetivo da empresa é o de garantir maiores lucros implementando a reforma trabalhista do golpista Temer e contratando novos funcionários, com menos direitos, sob o regime intermitente (em que se ganha pelas horas trabalhadas).

A Estácio, um dos maiores conglomerados de educação do Brasil, só em 2016, através da exploração da educação e da especulação no mercado financeiro somou R$ 368 milhões de lucro. Ao adotar a posição de demitir para retirar a estabilidade dos profissionais de educação isso fica ainda mais claro.

O Esquerda Diário esteve presente na manifestação no West Shopping e coletou depoimentos dos estudantes que estiveram em apoio de seus professores e contra a reforma trabalhista:

Paulo, estudante de Direito na Estácio:

A Estácio é uma das beneficiárias da política petista do FIES, que entre 2010 e 2013 cresceu 630%, ao mesmo tempo explodiram os lucros da Estácio em 347%, se tornando uma gigante ao lado da Kroton-Anhanguera também beneficiária cresceu 20.000% no mesmo período.

Roni, aluno de Direito na Estácio:

Os alunos fizeram questão de ressaltar que muitos professores trabalharam por até 19 anos na instituição e são descartados no momento em que a empresa decide que não são mais "úteis".

Sandra Maura, aluna de Direito na Estácio:

Pablo, estudante de Direito na Estácio

Rosineia, estudante de Direito na Estácio

Os alunos fizeram questão de ressaltar que muitos professores trabalharam por até 19 anos na instituição e são descartados no momento em que a empresa decide que não são mais "úteis".

Estudantes fizeram chamado para o ato que acontecerá segunda feira as 17h na Estácio unidade Uruguaiana, na Presidente Vargas.




Tópicos relacionados

Estudantes Rio de Janeiro   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar