Internacional

MANIFESTAÇÕES ANTI-TRUMP

Estudantes americanos realizam protesto e impedem ato de extrema direita pró-Trump

Após barricadas e confronto com a polícia, editor do site fascista “Breibart News” foi obrigado a cancelar palestra em universidade da Califórnia. Em resposta, Trump ameaça cortar o financiamento federal da universidade.

sexta-feira 3 de fevereiro de 2017| Edição do dia

O ultradireitista Milo Yannopoulos foi forçado a cancelar seu discurso na Universidade da Califórnia em Berkeley, graças a ação de centenas de estudantes que realizaram um vigoroso protesto contra a sua presença na universidade, montando barricadas e confrontando a polícia com pedras e fogos de artifício.

Milo Yannopoulos é editor do “Breibart News”, site de extrema direita que foi criado pelo atual estrategista da Casa Branca, Steve Bannon, site que teve cumpriu um papel importante na eleição de Donald Trump através da difusão de notícias falsas e comentários machistas e preconceituosos contra a candidata democrata Hillary Clinton.

Tanto Yannopoulos quanto Bannon são representantes da chamada “Direita Alternativa” ou “Alt-Right”, uma direita fascista, que defende o racismo, a homofobia e a supremacia branca, mas com uma roupagem moderna que os fazem passar despercebidos pela grande mídia burguesa.

Não é a primeira vez que os estudantes da Califórnia se levantam contra a vinda de um fascista para discursar em suas universidades, pois protestos similares aconteceram em outro campus da universidade da Califórnia, na cidade de Davis, onde Yannopoulos faria uma palestra em conjunto com o magnata da indústria financeira Martin Shkreli. Também houve uma carta assinada por mais de 100 professores da universidade pedindo o cancelamento do evento, devido à “conduta prejudicial” do palestrante.

Yannopoulos é simpatizante de Trump, a quem se refere como “papi” e, através disso se tornou um dos principais representantes do ultradireitistas que encontraram em Trump a resposta aos seus anseios racistas e xenófobos. Dessa maneira, Trump logo se apressou em condenar os protestos pro via do seu inseperável Twitter e, não satisfeito, ainda ameaçou cortar os fundos federais que são direcionados a Universidade da Califórnia, afirmando que “Berkeley não permite a liberdade de expressão e prática violência contra pessoas inocentes”.

Mas longe de ser uma violência contra “pessoas inocentes”, o protesto dos estudantes representa o crescente setor de americanos que não enxerga em Trump um presidente legítimo e que não aceitará de bom grado suas políticas xenófobas, racistas e elitistas que estão perfeitamente representadas nos ideais dessa suposta direita alternativa, que nada mais é o do que o velho fascismo.




Tópicos relacionados

Donald Trump   /    Internacional

Comentários

Comentar