Juventude

REPRESSÃO NO RIO

Estudante tem abdômen perfurado por policia de Pezão

O jovem de 18 anos teve que passar por cirurgia após ser gravemente ferido no fígado e abdomen por bala de plástico duro perfurante, em truculenta ação da polícia.

quinta-feira 9 de fevereiro de 2017| Edição do dia

Hoje (9) na manifestação contra a privatização da Cedae e os pacotes do Pezão em votação na Alerj, um jovem estudante de 18 anos teve o abdômen perfurado pela ação truculenta da polícia que, a mando do governador Pezão, atirou com balas de borracha contra os manifestantes no Centro do Rio.

Carlos Henrique Senna é estudante do Colégio estadual Hebert Souza, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Ele foi gravemente ferido e precisou ser hospitalizado, ele passou por cirurgia no Hospital municipal Souza Aguiar. A equipe do Esquerda Diário, presente no Souza Aguiar confirmou o ferimento e que o jovem estava passando pela cirurgia logo após a intensa repressão.

Segundo o jornal Extra, Rafael Figueira, amigo de Carlos Henrique, contou que estava com o rapaz na hora em que foi atingido. Segundo ele, os dois estavam na frente da Alerj quando começou a repressão policial. O rapaz também declarou ao jornal que “O projétil só foi retirado no local. Primeiro achamos que era até bala de verdade”.

Carlos Henrique foi socorrido pelos próprios amigos que chamaram um táxi e o levaram até o hospital.

David Gomes que estava em contato com o estudante ferido, divulgou em sua página pessoal do facebook que a bala foi identificada como “bala de plástico duro perfurante”. Ele também afirmou que a cirurgia terminou e Carlos Henrique teve o “fígado e intestino perfurados e com hemorragia interna que foi rapidamente controlada. Não houveram sequelas e o jovem ficará dois dias em observação antes de ser liberado”.




Tópicos relacionados

CEDAE   /    Rio de Janeiro   /    violência policial   /    Juventude

Comentários

Comentar