Educação

DIA DA EDUCAÇÃO EVANGÉLICA EM CAMPINAS

Estado Laico Cristão?

Nessa quinta-feira, 14 de abril de 2016, no Diário Oficial da Prefeitura Municipal de Campinas, saiu em nota uma nova lei aprovada, ontem (13), pelo Prefeito Jonas Donizette (PSB), nela inclui no Calendário Oficial do Município de Campinas o Dia da Educação Evangélica.

Sagui

jovem trabalhadora

quinta-feira 14 de abril de 2016| Edição do dia

O Brasil é oficialmente um estado laico, segundo a constituição, onde o Estado se difere da igreja.

"Estado laico significa um país ou nação com uma posição neutra no campo religioso. Também conhecido como Estado secular, o Estado laico tem como princípio a imparcialidade em assuntos religiosos, não apoiando ou discriminando nenhuma religião."

Logo a laicidade do Estado pressupõe a não intervenção da Igreja no Estado, porém, com a aprovação dessa lei, vemos que a laicidade foge a pratica, e se tona teórica.

JONAS DONIZETTE, Prefeito Municipal
Protocolado nº 2015/10/43138
Autoria: Executivo Municipal
LEI Nº 15.191 DE 13 DE ABRIL DE 2016
INCLUI NO CALENDÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS O DIA DA EDUCAÇÃO EVANGÉLICA.
A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte Lei:
Art. 1º Fica instituído o Dia da Educação Evangélica no Calendário Oficial do Município de Campinas, a ser comemorado anualmente no dia 31 de outubro.
Art. 2º As despesas decorrentes da execução desta Lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.
Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições
em contrário.
Campinas, 13 de abril de 2016
JONAS DONIZETTE
Prefeito Municipal Protocolado nº 2016/08/03169
Autoria: C.M.C. - Ver. Prof. Alberto

No governo vemos varias provas disso, pastores e vários partidos cristãos, que formam a bancada evangélica, estão inserindo e trazendo a religião junto ao estado. Então, teria Marco Feliciano (PSC), pastor da Catedral do Avivamento e deputado federal brasileiro, falado a verdade quanto ao "Estado Laico-Cristão"?

As Provas não mentem

Aprovado ano passado em primeira votação, o projeto de emenda à lei orgânica da cidade que proíbe o debate de gênero e orientação sexual nas escolas municipais indica como esses reacionários aumentam seu poder dentro do Estado.

Num pais onde a cada ano milhares de mulheres continuam morrendo por aborto clandestino, agressão e estupro, e varixs LGBT são agredidos, oprimidos e mortos, é possível ver a legitimidade que dão a todas essas opressões e, como atuam indiretamente e diretamente para que todas as taxas de mortalidade e violência contra esses setores cresça gradativamente.

Percebemos isso quando Bolsonaro (PSC-Partido Social Cristão), cumprido seu sexto mandato na Câmera dos Deputados e pré-candidato à presidência, tem livres falas machistas, racista e LGBTfóbicas.

“O filho começa a ficar assim, meio gayzinho, leva um couro e muda o comportamento dele. Olha, eu vejo muita gente por aí dizendo: ainda bem que eu levei umas palmadas, meu pai me ensinou a ser homem. A gente precisa agir”- em debate realizado em 2010 na TV Câmara

"Prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim ele vai ter morrido mesmo” e *se um casal homossexual vier morar do meu lado, isso vai desvalorizar a minha casa. Se eles andarem de mão dada e derem beijinho, desvaloriza” - Em entrevista concedia à Playboy

“Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco porque meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambiente promíscuo como lamentavelmente é o teu" - Em uma conversa com Preta Gil, no programa CQC, em 2011.

“Não saia não, Maria do Rosário, fica aí. Fica aí, Maria do Rosário, fica. Há poucos dias, ‘tu’ me chamou de estuprador no Salão Verde, e eu falei que não ia estuprar você porque você não merece. Fica aqui para ouvir!” - diz Bolsonaro no plenário da Câmara dos Deputados

Outro exemplo seria Silas Malafaia, pastor pentecostal brasileiro, televangelista, graduado em psicologia, presidente da editora Central Gospel e vice-presidente do Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil (CIMEB), que diz:

“Os caras na Parada Gay ridicularizaram símbolos da Igreja Católica e ninguém fala nada. É pra Igreja Católica entrar de pau em cima desses caras, sabe? Baixar o porrete em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha”. - Durante o programa “Vitória em Cristo”, onde critica o uso de símbolos religiosos durante a Parada do Orgulho LGBT em 2011.

"De um modo geral, podemos afirmar que o homem é mais lógico e racional do que a mulher” - disse, em seu texto “De que forma a inversão de papéis no casamento pode prejudicar a relação conjugal?”

Ainda ano passado, outra projeto de lei reacionária é aprovada pela Comissão Especial do Estatuto da Família, na Câmara dos Deputados, onde diz que a família é "a entidade familiar formada a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou de união estável, e a comunidade formada por qualquer dos pais e seus filhos", que ignora milhares de pais e, principalmente, mães solteiras, avos, tios e tias que criam e cuidam de nossas crianças, para não fazer parte de mais uma taxa cruel de crianças esquecidas pelos Direitos Humanos. Direitos esses que como vimos é tirado de nós a cada lei aprovada.

Os alunxs pedem e devem ter o debate de gênero dentro da escola

Mesmo sendo atacados, oprimidos e precarizados pelo Estado, ainda sim, dentro das Escolas Estaduais de Campinas vemos mais e mais o movimento secundarista indo contra toda forma de opressão.

Prova disso foi uma bandeira LGBT fixada em um dos portões de uma Escola de Campinas, e que foi apreciada calorosamente por vários alunos LGBT’s que lutam contra o preconceito dentro e fora de suas escolas.

Outro exemplo é o "Saiaço" em apoio ao professor Victor Pelegrin, pois no desfile de sete de setembro, realizando um projeto pedagógico contra a homofobia discutido e planejado na escola, e que o mesmo participou de saia, esta sendo processado. Expressando seu repudio a essa ação, varixs secundaristxs saíram de saia e compareceram a suas escolas protestando contra a opressão.


Saiaço na E.E José Maria Matosinho

A Laicidade é primordial

Outra taxa que cresce é discriminação religiosa, que aumentaram 70% comparado ao ano passado e o ano anterior no Brasil, chegando a 252 casos. Onde o maior número de denúncias foi feito em São Paulo (37), seguindo-se o Rio de Janeiro (36), Minas Gerais (29) e a Bahia (23).

Em junho de 2015, uma menina de 11 anos foi apedrejada quando saia de um culto religioso em um subúrbio do Rio de Janeiro. Outros quatro assassinatos bárbaros em um período de dois meses aconteceu a frequentadores do candomblé angola.
Mas ao afirmar, novamente em seu twitter, Marcos Feliciano:

"Laico: ñ tem religião OFICIAL Cristão: seguidor de Cristo Laico-cristão: mesmo ñ tendo religião oficial a maioria brasileira crê em Cristo!"

Ele se esquece de que apessar de a maioria dos brasileiros serem cristãos, vinda da herança colonial Portuguesa, é fato que grande parte das vítimas pertence a religiões de matrizes africanas, outro efeito da colonização que trouxe milhares (estimativa de 4 009 400) de negros em navios:

"O navio onde os negros
Amontoados e acorrentados
Em cativeiro no porão da embarcação"
NAVIO NEGREIRO, Djalma Sabiá e Amado Régis

Que chegando aqui, a parcela que não morreu e fora jogada no mar em decorrer das péssimas condições de transporte, fora escravizada, já que eram vistos como inferiores pela sua cor e religião pagã (catimbó, calundus, candomblé, umbanda, etc,), assim como os índios, que eram condenados pela igreja católica como sem alma, justificando a ideologia de escravidão.

Não há de ser surpresa realmente que grande parte seja cristão, e que boa parcela dos discriminados sejam esses grupos religiosos. Como afirmou Nagentu, representante do candomblé angola,

“Tolerância é uma palavra muito grave. Ninguém quer ser tolerado, quer ser respeitado como ser humano, como cidadão, como pessoas de bem, como pessoas que têm a sua opção de escolha, de sua tradição e de crença. Vivemos num país laico”

Pois que seja assim, que o Brasil seja laico, que respeite as etnias e religiões diferentes, dando respeito as mulheres e LGBT’s. Chega de leis que oprimem e, principalmente, matam!




Tópicos relacionados

Secundaristas   /    Educação   /    LGBT   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar