Esquerda diário panfleta em fábricas: por comitês de base contra Bolsonaro o golpismo e as reformas!

Nas últimas semanas, jovens e trabalhadores da Faísca, do Nossa Classe e do MRT (Movimento Revolucionário de Trabalhadores) panfletaram em fábricas de várias cidades um material chamando os trabalhadores a organizarem a luta contra Bolsonaro e suas politicas anti-operárias

sábado 27 de outubro| Edição do dia

Alertando os trabalhadores que Bolsonaro quer defender o lucro do patrão e promete continuar com o plano de ataques de Temer contra os direitos trabalhistas, das mulheres, dos negros e lgbts, o Esquerda Diário panfletou em diversas fábricas do país a necessidade de organizar a luta contra a extrema direita.

Nessas eleições claramente manipuladas, Bolsonaro surge com a face mais reacionária do regime político. Seu discurso fascista incentiva a violência que já se manifesta em mais de 70 casos relatados por todo o país, como o brutal assassinato do Mestre Moa do Katendê. Além disso, vemos cada vez mais direitos democráticos mínimos sendo retirados pelo judiciário, como o de livre manifestação que foi atacado em inúmeras universidades do país nesta semana.

Nesse momento é mais do que essencial a auto-organização dos trabalhadores. As centrais sindicais como a CUT (do PT) e a CTB (do PCdoB) precisam sair do imobilismo e convocar milhares de comitês de base para organizar os trabalhadores contra todos os ataques previstos e pela revogação das reformas do golpe. Esta é a única forma de disputar de forma consequente a consciência dos setores de trabalhadores que nessas eleições votam no Bolsonaro com ilusão de que este apresentará uma saída para o desemprego, a violência, a educação.

Acompanhamos todos aqueles que votarão no Haddad e chamamos voto neste, mesmo assim não damos nenhum apoio político ao PT, que durante anos rifou a luta dos trabalhadores. Acreditamos que a estratégia meramente eleitoral de "virar voto" será insuficiente para barrar o crescimento da extrema direita.

Por isso as panfletagens vieram trazer esse chamado à organização da luta para milhares de trabalhadores que, em meio a esse cenário, precisam se apoiar em seus métodos de luta para se enfrentarem com o Bolsonaro e todos os ataques previstos no próximo período, afinal, independentemente do resultado das eleições, a extrema direita seguirá atuante com força parlamentar e nas ruas, e a tarefa da esquerda de conjunto precisa ser responder à altura e dar uma saída dos trabalhadores para a crise.

Confira abaixo imagens e vídeos de algumas dessas panfletagens:




Comentários

Comentar