Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Especuladores da previdência pedem Reforma de Temer contra o servidor carioca e fluminense

sexta-feira 21 de abril de 2017| Edição do dia

“Vamos seguir as regras da União”, foi a declaração dada pelo presidente do Rioprevidência, Reges Moisés dos Santos, que também é sócio de duas empresas privadas da área de previdência particular como constatou o Blog do Pedlowski. O gestor dos benefícios do servidor estadual afirmou com certeza que nenhuma reforma seria aprovada pela ALERJ, segundo ele por falta de tempo hábil e espaço político.

Como “a retirada de servidores estaduais e municipais” da reforma da previdência por Temer, era na verdade uma farsa porque o golpista obrigou com um prazo de seis meses que municípios e estados aprovassem suas próprias reformas, caso contrário as regras nacionais passam a valer para servidores municipais e estaduais. Uma manobra de Temer para tentar dividir servidores dos estados e municípios do resto dos trabalhadores que sofrerão com a reforma, no caso, igual aos servidores dos estados e municípios deverão sofrer no final já que quase não se tem notícia de reformas “locais” da previdência.

Querem que paguemos o rombo da especulação no Rioprevidência

Reges Moisés dos Santos, que deve ganhar muito dinheiro com esta reforma, declarou que “a mudança da idade mínima ajuda bastante, pois o servidor passa mais tempo contribuindo, e o Rioprevidência começa a pagar mais tarde”. Esta é a saída para o Rioprevidência do seu atual diretor que gere as contribuições previdenciárias dos servidores, assumindo o cargo com a saída de Gustavo Barbosa, homem de Pezão e Cabral que especulou com a previdência dos servidores em um fundo abutre com sede em Delaware nos EUA.

A operação “simples” e totalmente escabrosa que quebrou o Rioprevidência nada teve a ver com os gastos com a aposentadoria por serviços prestados pelos servidores à população. O que ocorreu de fato foi que pela primeira vez um fundo previdenciário foi dado de garantia para um empréstimo exterior. Simples assim: especularam com o futuro de milhares de trabalhadores!. O empréstimo recebido da Rio Oil Finance Trust, sediada em Willmington (Delaware, EUA - um paraíso fiscal) teria valor a previsão da arrecadação futura dos Royalties futuros do petróleo (este tipo de especulação com os royalties, apelidada de “venda do futuro” detalhamos aqui e tinha como garantia de pagamento, caso o valor não fosse pago, os títulos da dívida do Rioprevidência.

Caso a mutreta tenha ficado confusa (normal, esta é a mágica dos especuladores), explicamos novamente: Cabral, Pezão, e Gustavo Barbosa à frente do Rioprevidência, pegaram empréstimos com fundos em paraíso fiscal nos EUA, levando em contra a projeção da arrecadação em Royalties de Petróleo e à juros hiper-abusivos, e deram de garantia a aposentadoria dos servidores do ERJ.

Previ-Rio também vai na onda dos ataques de Temer

Crivella mal assumiu e também anunciou que fará uma gestão de cortes e privatização. Por enquanto tem ficado debaixo das asas de Pezão e Temer, cumprindo um maior papel apoiando os ataques de Pezão com a repressão da Guarda Municipal e colocando seu partido para votar à favor de Pezão na ALERJ.

O seu presidente na Previ-Rio declarou que para servidores municipais, o mais provável é que também valha os ataques de Temer. Luiz Alfredo Salomão (que segundo o site da Câmara, ainda é filiado ao PT) declarou que seria impossível aprovar mudanças do próprio município no prazo estipulado, e que por isso deverá valer o ataque de Temer também para servidores municipais do Rio.

Por uma previdência dos trabalhadores, que os capitalistas paguem pela crise!

Como demonstramos, o tal “rombo da previdência” na realidade é fruto de especulações dos governos chafurdados na lama da corrupção, que fizeram tudo o que podiam para tirar até o último centavo do suor dos trabalhadores, que no caso do ERJ hoje já amargam a crise com salários atrasados, com serviços públicos em situação crítica, filas nos hospitais e uma UERJ ameaçada de fechar.

Estão todos juntos com o golpista Temer que quer nos fazer trabalhar até morrer para aumentar o lucro dos capitalistas com esta reforma da previdência, a reforma trabalhista, e muitas outras, e que ainda impões condições econômicas brutais aos trabalhadores do Rio de Janeiro com o plano de ataques aos estados que foi aprovado esta semana e que começou pela votação da privatização da CEDAE.

É possível barrar estes ataques, mas pra isso temos que lutar por uma greve geral efetiva, e impor que as burocracias sindicais totalmente omissas que querem fazer um ato festivo no dia 28 no Rio contra a reforma da previdência (comemorar o que??).

É preciso construir comitês nos locais de trabalho para paralisar tudo, a produção, os transportes, unificando toda a classe trabalhadora do setor público, privado e terceirizado, e impor que os capitalistas e seu governo de 9% de popularidade, que apela agora para a ajuda de Silvio Santos e Ratinho, sejam os que vão pagar pela crise!

Leia também: MRT lança campanha “Que os capitalistas paguem pela crise”

— 

*Detalharemos em outro artigos mais informações sobre o Rio Oil Finance Trust e a especulação com o Rioprevidência, mas já recomendamos este artigo e este outro do Blog do Pedlowski.)




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar