Internacional

ESTADO ESPANHOL

Espanha: Supremo confirma prisão de nove meses do rapper Pablo Hasél

A Suprema Corte confirmou a sentença de nove meses de prisão do rapper Pablo Rivadulla Duró, Pablo Hasél, por suposto enaltecimento ao terrorismo e injúrias à monarquia e às forças de segurança através de mensagens "atentadas" nas redes sociais.

domingo 14 de junho| Edição do dia

A Suprema Corte negou os recursos contra sua condenação, considerando que "o exercício da liberdade de expressão e opinião tem algumas barreiras" e que o comportamento de Hasél vai "além" da "camaradagem nascida de laços ideológicos" ao conter uma "crítica, não por objetivos políticos, mas por meios violentos".

A sentença, que tem o voto privado de dois dos cinco magistrados, considera que algumas expressões contra o rei e as forças policiais também não podem ser enquadradas dentro da liberdade de expressão: "É ódio e ataque à honra".

Contra isso, em sua conta no Twitter, Hasél denunciou que: “É claro que, com este governo, continuamos com repressão constante. Eles não derrubaram os pontos do código penal com os quais violam a liberdade de expressão como as outras liberdades fundamentais. A "mudança" foi continuar sentenciando a prisão, enquanto chamam de democracia ”.

Em suas declarações, o rapper também denunciou que seu advogado nem mesmo foi notificado de que a Suprema Corte se reuniria para decidir a sentença: “Descobri, novamente pela mídia, que eles assinaram minha sentença da Audiência Nazi-onal pela música Bourbon e por tweets que denunciavam abusos policiais ou em solidariedade a presos políticos ”.

Por outro lado, ele explica que a sentença consistirá em mais de nove meses, uma vez que “há uma multa alta que, por não pagá-la - o que eu não posso e mesmo que pudesse não faria - se transforma em mais sentença prisional. Foi provado no julgamento que o que digo são fatos objetivos, mas eles condenaram igual ”:

Por outro lado, sobre Hasél há uma primeira sentença de dois anos de prisão, também por exaltar o terrorismo e insultar a coroa por meio de suas canções, cuja execução o Tribunal Nacional suspendeu em 2019. Agora, esse tribunal deve decidir se o rapper vai para a prisão.

“Resta ver se eles somarão aos meus antecedentes meus 2 anos por fazer músicas e solicitar a prisão imediata. A outra condenação é de anos atrás e talvez não possam mais adicioná-la, é isso que meu advogado está vendo. Mais uma vez, é mostrado que não há liberdade de expressão aqui.

O crime de "enaltecimento do terrorismo" é usado à critério das instituições do Estado para a perseguição judicial e policial de idéias dissidentes da esquerda entre os trabalhadores, as mulheres e os jovens. Assim, busca censurar jornalistas, twitteiros, artistas e qualquer pessoa que não concorde com esse regime e com a manutenção do sistema.

“Não me arrependo absolutamente do que fui condenado. Eu fiz, faço e farei novamente. Como a música diz: esses canalhas não mantêm minha boca fechada. ”

Em abril de 2018, dezenas de artistas e rappers lançaram um rap pela liberdade de expressão e em solidariedade a rappers retaliados, como Hásel, Valtyonyc e La Insurgencia, intitulado “Los Bourbones son unos ladrones”, o rap contra a repressão se tornou viral e ainda hoje é ouvido e difundido.




Tópicos relacionados

Estado Espanhol   /    Internacional

Comentários

Comentar