Educação

VOLTA ÀS AULAS

Escolas particulares de Campinas tem dezenas de casos de Covid e fecham após volta às aulas

Com a determinação de Doria sem consultar as comunidades escolares para que o ensino básico retornasse presencialmente, algumas escolas no estado de São Paulo já demonstram o perigo, tendo que fechar suas portas após ocorrência de contaminação de casos de Covid-19.

quinta-feira 4 de fevereiro| Edição do dia

Imagem: Governo do Estado

Nesta semana algumas escolas privadas da cidade de Campinas, SP, tiveram as aulas suspensas e o calendário escolar modificado, devido ocorrência de casos de Covid-19 após retomada dos trabalhos presenciais no final de janeiro. Uma das escolas registrou uma situação mais grave, com 42 pessoas (37 funcionários e 5 alunos) infectadas.

Apesar das escolas alegarem que estavam seguindo todos os protocolos sanitários, medidas de proteção e barreiras, com rodízio de 35% dos estudantes por dia, aconteceram os casos de contaminação, fazendo com que as escolas fechassem e modificassem o calendário do modelo híbrido/presencial.

Registrados os casos, a Vigilância Sanitária foi solicitada para fazer a vistoria nas escolas, além de ser necessário enviar relatório ao Ministério Público respondendo a informações sobre os protocolos de segurança sanitária adotados pelas escolas.

Apesar das mais de 53 mil mortes no estado de São Paulo e o momento mais crítico da pandemia que o país atravessa neste início de ano, o governador João Doria anunciou e segue na determinação do retorno obrigatório de parte das aulas presenciais de forma autoritária, sem discussão e aprovação pela comunidade escolar.

Não só isso, Doria nesta semana, mantendo a resolução de retorno presencial, emitiu termos de responsabilidade às famílias dos estudantes da rede estadual de ensino, se eximindo de toda e qualquer responsabilidade caso ocorra contaminação dos estudantes pela Covid-19.

Leia mais: Doria lava as mãos e estudantes paulistas terão de assinar termo de responsabilidade para retorno

Seu discurso demagógico de oposição racional ao negacionismo de Bolsonaro cai por terra ao ver sua política de combate à pandemia, obrigando as comunidades escolares retornarem às aulas presencialmente. Apesar de se colocar como padroeiro da vacina, sem fornecer imunização sequer para todos os profissionais da saúde, Doria demonstra que, assim como Bolsonaro, pensa apenas em beneficiar os empresários e capitalistas em detrimento da saúde e vida da população.




Tópicos relacionados

Reabertura das escolas   /    COVID-19   /    João Doria   /    Educação

Comentários

Comentar