Internacional

GOLPE NA TURQUIA

Erdogan chama por “FaceTime” a resistir ao golpe nas ruas

Neste momento nas principais cidades turcas acontecem combates nas ruas entre setores do exército e a polícia, segundo informam direto dos lacais pelas redes sociais. Erdogan chama a resistir ao golpe.

sexta-feira 15 de julho de 2016| Edição do dia

Correspondentes do Esquerda Diário informam neste momento que nas ruas de várias cidades da Turquia acontecem enfrentamentos entre a polícia (pró-Erdogan) e o exército que levou adiante o golpe.

Os militares golpistas tomaram como refém o chefe do Estado Maior. Os militares emitiram um comunicado esta noite, anunciando suas intenções e declarando que tomaram o poder.

Erdogan, que estava de férias, fez uma primeira declaração por “FaceTime” a um meio de comunicação, onde chamou à população a sair às ruas para resistir ao golpe.

“Exorto nosso povo, a todo mundo, que encham as praças do país para dar a eles (ao exército) a resposta necessária”, manifestou Erdogan nas declarações por telefone à emissora CNNTurk.

“Este golpe de Estado nunca terá êxito. Cedo ou tarde será eliminado. Vou voltar a Ankara”, agregou o presidente.

“Este evento hoje é desafortunadamente uma tentativa de golpe de Estado, perpetrado por um pequeno grupo do exército. Fê-lo pela estrutura paralela que conhecemos dentro do Estado”, disse o presidente.

“Vão receber a resposta da nação e vão pagar um alto preço por atuar contra a nação. Não vamos recuar. Logo vamos eliminar isso” assegurou Erdogan, cujo país é um membro chave da OTAN.

“Eu sou o comandante chefe. Sem minha informação o exército não pode fazer nada. Ouvi que o chefe do estado Maior está detido. No entanto, não sei até que ponto isso é verdade”, reconheceu o presidente.

O governo turco pede a população que “passe por cima os tanques” golpistas. O ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdag, pediu a população que encham as ruas e “passem por cima dos tanques” para deter a tentativa de golpe de Estado iniciado por militares rebeldes.

Em uma mensagem através da emissora pública TRT, Bozdag pediu a população que vá para a sede do estado Maior e do Palácio Presidencial em Ankara onde, disse, tinha notícias que se havia registrado feridos a bala.

“Convido à população a passar por cima dos tanques. A ir às praças de Ankara”, animou o chefe de Justiça.

Os militares declararam que a população está proibida de sair às ruas até o próximo comunicado. Está declarado estado de sitio e a lei marcial.




Tópicos relacionados

Turquia   /    Internacional

Comentários

Comentar