Mundo Operário

TRABALHO PRECÁRIO

Entregadores de app convocam paralisação nacional para o dia 01 de Julho!

Trabalhadores de aplicativo propõem a realização de uma inédita paralisação nacional da categoria, denunciando os bloqueios por parte dos aplicativos, que pagam moedas em troca de longas corridas, e ainda não garantem os EPIs para se protegerem do Coronavírus.

sexta-feira 12 de junho| Edição do dia

Os entregadores querem brecar tudo contra a superexploração de empresas como Rappi, iFood, UberEats, Loggi, James, que os tratam como "empreendedores" quando na verdade "escravizam o pai de família"

Como vimos na manifestação que ocorreu em São Paulo na última sexta-feira, 5, são uma maioria de jovens negros, que pedalam e correm kilômetros para receberem R$4,00 na entrega, tendo que acelerar e correr risco de acidentes para saírem com algum trocado depois de 12-14h de jornada.

Se sofrem acidentes, a empresa não tem nada com isso, que arque com sua moto ou com sua vida, e se o cliente cancela o pedido, ganha uma dívida absurda.

O ódio contra esse nível inédito de exploração, tem confluindo com a fúria anti-racista que acometeu o coração do capitalismo norte-americano e contaminou o mundo. Aqui no Brasil, um setor desses trabalhadores que se colocaram como parte ativa das manifestações anti-fascistas e anti-racistas do ultimo domingo, dia 7.

Enquanto isso, as principais centrais sindicais, CUT e CTB, viram a cara para esses trabalhadores e sua luta, seguem confortáveis em sua quarentena enquanto comemoram a MP da Morte do Bolsonaro, negociando as suspensões de contrato, redução de salário, nas indústrias e outros locais de trabalho.

Nós do Esquerda Diário nos solidarizamos com a luta desses entregadores e assim como sempre deixaremos as portas abertas para todo tipo de denúncia dessas empresas, seremos parte ativa da convocação dessa paralisação. Impulsionamos o movimento Nossa Classe que, no Metrô de São Paulo aprovamos o apoio a essa paralisação e seguiremos batalhando para unir a força dos metroviários e outras categorias a esse dia de paralisação que vocês estão chamando, partindo de cobrar da CUT e CTB, e também dos centrais patronais, que unifiquem imediatamente os seus sindicatos a convocação desse dia. É urgente unificar toda a classe trabalhadora para barrar a MP da Morte, as demissões e pelos direitos dos entregadores.

A entrada em cena dos trabalhadores é o que pode fortalecer a luta anti-racista e anti-fascista no Brasil, lutando pelo Fora Bolsonaro e Mourão, e todo esse regime escravista de exploração.




Tópicos relacionados

Coronavírus e racismo   /    Rappi   /    Trabalho Precário   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar