Mundo Operário

HAVAIANAS

Enquanto produzem sandálias, operários da Alpargatas estão adoecendo de COVID-19

sexta-feira 15 de maio| Edição do dia

Desde a última quinta-feira (14 de Maio), circula no whatsapp mensagens de funcionários da empresa Alpargatas na cidade de Campina Grande, agreste do Estado da Paraíba. Segundo matéria vinculada ao portal Brasil de fato as denúncias abordam principalmente o fato de que, por dia, cerca de 20 funcionários vem procurando atendimento em um dos hospitais privados da cidade conveniado com a empresa, por apresentarem sintomas da Covid-19.

Realizadas de forma anônima, essas denúncias relatam que mais operários podem estar infectados pelo vírus. Salientamos que a empresa não parou suas atividades e que na sua página oficial informa que adotou o home office para determinados setores, mantendo a linha de produção ativa com capacidade reduzida. Em uma das partes da mensagem contida na página temos a seguinte declaração da empresa:

"A Alpargatas é uma empresa comprometida com a sociedade e sabemos que para muitos no Brasil, Havaianas é o único calçado e que, inclusive, em momentos da nossa história, já fez parte da cesta básica dos brasileiros. Por meio do Instituto Alpargatas, a empresa se mobilizou para uma série de doações. Nossa prioridade é a saúde das nossas pessoas, da comunidade global e com a sustentabilidade dos nossos negócios".

Uma resposta totalmente cínica. A empresa Alpargatas é a responsável por produzir as sandálias havaianas, conhecidas nacional e internacionalmente. Trata-se de uma empresa de capital aberto, que segundo relatório financeiro que acessamos no site da Bovespa, no primeiro trimestre desse ano obteve uma receita de $ 747 milhões com uma posição de caixa de R$ 1,4 bilhão no 1T20 na bolsa. Essas cifras apenas demonstram o que reforçamos no Esquerda Diário, que os capitalistas querem que a classe trabalhadora morra trabalhando, pouco se importando se o cenário é de pandemia. O fato concreto é que, assim como o governo Bolsonaro não da a mínima para as cifras de mortes que apenas aumentam, as empresas pouco se importam com a soma dessas mortes, uma vez que o lucro está acima de tudo para a sanha capitalista.

Diante desses casos, a importância da realização de testes massivos apenas de reafirmar, além de medidas que conduzam a base produtiva para insumos médico-hospitalares que venham a ajudar no combate da pandemia. Apenas um sistema irracional procura produzir “sandálias” em um cenário de mortes que apenas ganha contornos trágicos no Brasil.

Nesse caso é fundamental exigir a liberação, sem desconto de salário ou demissão desses funcionários, repudiando a MP da Morte de Bolsonaro que facilita as demissões no país. Se esses patrões milionários se recusam a isso, é porque os trabalhadores da Alpargatas e do país não precisam deles, por isso tem o direito de assumir o controle dessa fábrica, organizando comissões de biossegurança e de planejamento da conversão produtiva, junto a trabalhadores da saúde e técnicos, para que eles decidam como a sua produção vai estar a serviço do combate a pandemia.




Tópicos relacionados

Controle Operário   /    Coronavírus   /    Campina Grande   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar