Sociedade

OLIMPÍADAS E REPRESSÃO

Enquanto o governo golpista realiza cortes, ele gasta milhões em repressão para as Olimpíadas

Faltando três dias para a abertura oficial das Olimpíadas, o governo golpista ainda tenta resolver a confusão criada com a desistência da empresa Artel Recursos Humanos, de Santa Catarina, de fazer a revista nos acessos ás áreas de competição e convivência dos jogos. O Ministério da Justiça afirma que, nesta quarta feira (3), 3400 policiais e bombeiros aposentados já estarão no Rio para atuar na revista dos acessos, além do cristo redentor.

Guilherme de Almeida Soares

São José dos Campos

quarta-feira 3 de agosto| Edição do dia

Esta mobilização emergencial deve custar 20 milhões de reais. Vencedora da licitação fechada há um mês para os jogos, a Artel receberia 17,3 milhões para fornecer até 5 mil homens que cuidariam dos raios-X, dos detectadores de metal e revista de bolsas nas áreas de acessos às competições. Como não foi capaz de cumprir o contrato, pois segundo o governo golpista a empresa apresentou apenas 527 dos homens previstos, a Artel teve de ser substituída pelos PMs e bombeiros inativos, que receberão diária de R$ 560,5 até o dia 22 de agosto, enquanto os funcionários da Artel receberiam R$26 por dia.

Já nas Paraolimpíadas, o valor da diária do bombeiro e do policial será de R$224,20, valor normal do servidor público. A informação consta no ‘’Diário Oficial da União’’, em sua edição de 15 de julho.

A hipocrisia dos cortes e as Olimpíadas

A preparação para as Olimpíadas de 2016 que iniciou no ex–governo de Dilma e terminará com o governo golpista de Temer, é um evento onde as diversas grandes empresas vão poder lucrar rios de dinheiro. Mesmo que o país esteja passando por uma grave crise econômica, quando se trata dos negócios dos banqueiros e dos grandes empresários o estado não pensa duas vezes para investir dinheiro.

Sabemos que o dinheiro que está sendo investido em aparato militar para garantir o evento das Olimpíadas, poderia ser usado para melhoria da educação pública, assim como a melhoria da saúde e do transporte público. É criminoso que a maioria da população brasileira tenha que enfrentar os péssimos serviços públicos, enquanto o Estado realiza um evento onde os trabalhadores e o povo pobre não poderão sequer usufruir direito.

O mais criminoso de tudo isso é que os trabalhadores e setores populares da sociedade estão pagando pela atual crise econômica que o Brasil está passando. Enquanto realizam o evento das Olimpíadas, o governo pede para os trabalhadores e o povo pobre apertarem os cintos e isto se materializa nos cortes na saúde que fazem as filas dos hospitais públicos aumentarem, são os ataques contra a educação pública que fazem fechar escolas e superlotar salas de aulas e também são as demissões que deixam milhares de trabalhadores na miséria.

Por mais que a grande mídia e o governo golpista façam um alarde em torno do Estado Islâmico, o fato é que este grande arsenal repressivo está sendo montando a serviço de reprimir qualquer um que se organize contra a realização deste evento. O fato é que onde passamos, existe um rechaço popular em torno das Olimpíadas e é elementar que o Estado consiga conter esta contestação em torno do evento e principalmente se este questionamento se transformar num questionamento ao regime.




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Repressão   /    Sociedade

Comentários

Comentar