Política

Enquanto o desemprego sobe, Trump financia grupos anti-aborto

Diversas organizações cristãs receberam fundos milionários do governo de Trump em empréstimos pelo Coronavírus.

sábado 11 de julho| Edição do dia

Tradução: Barbara Nicodemos

O lobby das organizações cristãs que se opõem aos direito ao aborto legal no parlamento norte-americano conseguiu que o governo entregasse fundos milionários em empréstimos através de um programa de ajuda financeira da pandemia do coronavírus.

Entre as organizações anti-direitos que receberam a ajuda financeira, se encontra a American Family Association (AFA), que ficou conhecida como um grupo de ódio pelo seguimento de especialistas no Southern Poverty Law Center. A AFA já descreveu a homossexualidade como “uma escolha infeluz e perigosa” e culpou as pessoas homossexuais pelo Holocausto.

Para se somar à polêmica, também recebeu fundos do American Center for Law & Justice (Centro Americano de Lei e Justiça), um grupo anti-aborto dirigido pelo advogado pessoal de Trump, Jay Sekulow.

Mas o lobby cristão, além disso, conseguiu que a agencia governamental que supervisiona o programa da rede Planned Parenthood (a maior rede de clínicas de aborto dos EUA),

Frederick Clarkson, analista de pesquisa sênior do Political Research Associates, um especialista no Direito religioso estadunidense afirmou em uma entrevista “o que estamos vendo com isso é um salto de um ano ao financiamento do governo às principais entidades políticas da direita cristã em uma escala que havíamos visto antes”.

Por sua vez, Jacqueline Ayers, porta voz do Planned Parenthood disse que foi “um ataque político claro aos centros de saúde da Planned Parenthood e ao acesso à saúde reprodutiva”.




Tópicos relacionados

Legalização do Aborto   /    Aborto   /    Donald Trump   /    Machismo   /    Direito ao aborto   /    Política   /    Gênero e sexualidade   /    Internacional

Comentários

Comentar