Gênero e sexualidade

RIO GRANDE DO SUL

Enfrentar extrema direita no RS, por uma saída anticapitalista, independente do PT e sua conciliação com golpistas

Nesta quinta-feira (27) o Grupo de Mulheres Pão e Rosas e Val Muller, candidata a deputada estadual do MRT no RS, em filiação democrática pelo PSOL, convocam estudantes e trabalhadora para uma roda de conversa no campus do centro da UFRGS, no vão do prédio branco ao lado da Faculdade de Direito, para debater a luta contra Bolsonaro e a extrema-direita. Nessas eleições manipuladas pelo judiciário golpista e tuteladas pelas forças armadas, é necessário uma saída anticapitalista e independente do PT e sua conciliação com os golpistas e as elites.

quarta-feira 26 de setembro| Edição do dia

O Grupo de Mulheres Pão e Rosas convoca reunião aberta nesta quinta-feira (27) para debater a luta contra Bolsonaro e a extrema direita, que odeia as mulheres, negros e LGBTs e quer escravizar a classe trabalhadora. A reunião ocorrerá no campus centro da UFRGS, em baixo do prédio branco, ao lado da Faculdade de Direito. Veja o evento no Facebook

Nessas eleições manipuladas pelo judiciário, o fortalecimento eleitoral de Bolsonaro é um dos frutos mais podres do golpe institucional, que vem sendo rechaçado pelas mulheres. Em nossa luta contra Bolsonaro e a extrema-direita machista, racista, LGBTfóbica, que quer acabar com todos os direitos da classe trabalhadora, temos que rechaçar também qualquer aliança com os golpistas e os capitalistas que o PT busca fazer. Não podemos nos iludir que é com o voto que vamos combater a extrema-direita. Mesmo que Bolsonaro não ganhe, um governo eleito do PT estará condicionado ao pacto que Haddad busca desde já fazer com os golpistas, além de uma base de 28% de apoiadores das ideias nefastas de Bolsonaro, e as Forças Armadas que vem intervindo na política e querem tutelar o próximo governo para que seja ainda mais de direita, com duros ataques contra a classe trabalhadora, as mulheres e o povo pobre.

Veja mais: Querem usar o movimento de mulheres para encobrir a conciliação do PT com golpistas, e não pra enfrentar a extrema-direita

Nós mulheres precisamos nos organizar junto à classe trabalhadora, a população negra e LGBT, para enfrentar essa extrema-direita que nos odeia. O PT busca um pacto com os golpistas e com as elites escravocratas do país para chegar ao poder, ao mesmo tempo que tenta iludir as mulheres de que um governo encabeçado por Haddad não seria também nosso inimigo. Não há um mal menor para as mulheres no capitalismo. Precisamos nos organizar e lutar para que sejam os capitalistas que paguem pela crise!




Tópicos relacionados

Rio Grande do Sul   /    Porto Alegre   /    Caxias do Sul   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar