Mundo Operário

GREVE DOS METROVIÁRIOS - DF

Enfrentando o judiciário, greve dos metroviários do DF fecha estações pelo quarto dia

terça-feira 21 de novembro| Edição do dia

A paralisação dos funcionários do metrô de Brasília fechou completamente as 24 estações do DF, que transportam 170 mil passageiros por dia.

As 24 estações estão completamente fechadas pelo quarto dia consecutivo por causa da greve dos servidores, que entra no seu 13º dia, e veio aumentando a adesão. Segundo a empresa, durante nove dias o Metrô-DF funcionou no horário de pico (6h às 10h e das 16h30 às 20h30) com 75% da frota. Mas há quatro dias os trabalhadores intensificaram a greve e paralisaram completamente as atividades, dando um exemplo de força.

De acordo com o Metrô-DF, desde sábado, 18, o sindicato da categoria não disponibilizou números de funcionários suficientes para manter a "operação segura", como eles dizem, tentando colocar a população contra os metroviários. O Tribunal Regional do Trabalho emitiu uma liminar exigindo o funcionamento de 90% do serviço em horários de pico e 60% nos demais horários, ou seja, na prática inviabilizando a greve e colocando a mobilização dos metroviários na ilegalidade.

Os metroviários entraram em greve reivindicando reajuste salarial e contratação de funcionários aprovados em concurso realizado no ano de 2014, sem os quais o quadro está deficitário levando a uma sobrecarga de trabalho - essa sim inviabilizando a operação segura do metrô do DF.

Em nota, o sindicato da categoria (Sindmetrô-DF) lamenta estar em greve em razão do descumprimento do acordo coletivo acertado pelo Metrô e o Governo do Distrito Federal (GDF). Segundo o texto, o Metrô-DF se recusou a negociar a escala de trabalho e a operação de greve, conforme carta enviada a companhia.

Ainda não há previsão de assembleia de trabalhadores nem de negociação com o GDF. Para tentar enfraquecer o impacto da greve, o departamento de trânsito está liberando o tráfego de faixas exclusivas da polícia e outros órgãos estatais.




Tópicos relacionados

Brasília   /    Greve   /    Transporte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar