Internacional

CATALUNHA

Encarcerados sem fiança dois dos líderes independentistas da Catalunha

A juiza da Audiência Nacional decretou prisão sem fiança para os líderes da ANC e da Òmnium, o que constitui um salto no ataque contra as liberdades democráticas.

terça-feira 17 de outubro| Edição do dia

Os líderes da Assembleia Nacional Catalã (ANC), Jordi Sánchez, e da Òmnium Cultura, Jordi Cuixart, foram encarcerados sem direito a fiança, segundo ordem da juiza da Audiência Nacional, acusados do delito de "sedição" e de serem responsáveis por uma "estratégiac omplexa" para alcançar a independência da Catalunha.

Os dois compareceram à Audiência Nacional como investigados por um delito de sedição, pelas concentrações do dia 20 e 21 de setembro diante da sede do Conselho de Economia. Como já fizeram na declaração do último dia 6 de outubro, Sánchez somente contestou as perguntas de seu advogado, enquanto Cuixart exerceu seu direito de não se declarar.

Esta decisão judicial constitui um ataque duríssimo por parte do Regime de ’78, alinhado com a ameaça do governo de aplicar o 155, depois de posicionar 10.000 guardas civis semanas antes do 1-O para sequestrar urnas sob golpes e cacetadas contra milhares de pessoas que foram votar.

Segundo consta nos autos, a juiza considera que as organizações ANC e Òmnium são responsávels por chamar as mobilizações do dia 20 e 21 de setembro com o objetivo de garantir a "proteção de seus governantes e instituições, mediante mobilizações cidadãs massivas, frente aos lugares onde se estavam levando a cabo atuações policiais. Em algumas delas se expressava inclusive que as concentrações existentes eram ’para aturar a Guarda Civil’ (para parar a Guarda civil), como expressa, por exemplo, as mensagens de Whatsapp da OMNIUM".

A juiza Carmen Lamela é a mesma que neste ano processou 8 jovens de Alsasua acusando-os de crime de "terrorismo" por uma discussão ocorrida num bar com dois Guardas Civis que terminou com a fratura do tornozelo para um deles. Nestes processos a fiscal pede pena de prisão que somam para os acusados cerca de 376 anos de cárcere. Em outras palavras, a desproporcionalidade, a criminalização contra as liberdades democráticas, são práticas frequentes desta juiza da Audiência Nacional, com um intuito de reprimir e que agora se volta contra as organizações independentistas catalãs.

Ao tomar conhecimento da resolução judicial, as redes sociais multiplicaram suas amostras de apoio, pedindo a liberdade de ambos os Jordis, enquanto que em Barcelona se iniciou um panelaço em diferentes bairros.

A partir do Esquerda Diário e da Corrente Revolucionária de Trabalhadores e Trabalhadoras (organização irmã do Movimento Revolucionário de Trabalhadores no Estado Espanhol) exigimos a liberdade imediata dos dirigentes da ANC e da Òmnium, e a anulação de todas as causas judiciais que procurem liquidar pela via repressora a mobilização do povo catalão. Chamamos todos para que participem das mobilizações convocadas para esta terça-feira na Catalunha e no resto do Estado Espanhol.

Nesta terça-feira foram convocadas paralisações às 12h nos locais de trabalho e às 19h manifestações em frente às sedes das delegações do governo espanhol em Barcelona, Girona, Lleida e Tarragona.

LIBERDADE PARA OS PRESOS POLÍTICOS!




Tópicos relacionados

Referendo na Catalunha   /    Catalunha   /    Internacional

Comentários

Comentar