Política

CORONAVÍRUS

Empresários e Bolsonaro pressionam STF pelo fim da quarentena para poder expor trabalhadores à morte

Na manhã desta quinta (07), Bolsonaro junto com Paulo Guedes, Braga Netto e demais ministros, e um bando de empresários, se reuniram com Dias Toffoli para pressionar o Supremo Tribunal Federal flexibilizar a quarentena nos estados e municípios para que os trabalhadores voltem a trabalhar e se expor em meio ao Coronavírus.

sexta-feira 8 de maio| Edição do dia

Na manhã desta quinta (07), Mesmo dia que o Brasil bate recorde de mortes diárias pela COVID-19, com 615 óbitos. Bolsonaro junto com Paulo Guedes, Braga Netto e demais ministros, reuniram e foram até a sede do Supremo Tribunal Federal (STF) onde sem ter uma visita previamente marcada, se reuniu com o presidente do tribunal, Dias Toffoli para pressionar que as medidas de isolamento social tomada pelos Estados e Municípios sejam amenizadas. Além de seus ministros, um grupo de empresários industriais foram junto com Bolsonaro. Um setor da burguesia brasileira que representa 45% do PIB industrial do país.

Na reunião, Bolsonaro fez um discurso querendo que as atividades econômicas retornem a normalidade e que sejam afrouxadas o isolamento social, fazendo demagogia falando em ser em defesa dos informais que perderam sua renda, mas seu governo nem ao menos liberar ou paga em dia o auxílio emergencial no valor insuficiente de 600,00 reais fazendo milhares de pessoas ficarem dias em filas da caixa sem receber o benefício, e com vários relatos de pessoas serem negado o auxílio por terem vínculo ocupacional, sendo que estão desempregadas, ou muito menos trabalham no cargo que informaram. A ida de Bolsonaro junto com os grandes industriais mostra exatamente o porquê Bolsonaro foi ao STF para pressionar a flexibilização da quarentena: para salvar o lucro dos empresários enquanto mais de 9 mil brasileiros morreram pela COVID-19.

Toffoli que atua com o STF ao lado do Bonapartismo Institucional com os governadores e o Congresso, fez uma fala tentando amenizar o discurso de reabertura radical de Bolsonaro. Disse que Bolsonaro precisar ter mais União com os Estados e os Municípios para começar a sair do isolamento. O mesmo mostra a pressão da burguesia está fazendo em todas as alas do Estado para a flexibilização da quarentena. Toffoli expressa querer fazer isso de uma maneira mais “racional”, sendo em um momento em os sistemas de saúde dos Estados estão colapsando e o número de mortos já está entrando nas dezenas de milhares. Toffoli junto ao STF também deu aval a MP de Bolsonaro para que esses mesmos empresários pudessem suspender e cortar os salários dos trabalhadores.

Após a reunião, Bolsonaro informou ter feito decreto que permite ampliar os ramos considerados como atividades essenciais a indústria e a construção civil, já mostrando colo ele se moveu para atender a exigências da patronal.

A questão que também se mostra é um ponto de inflexão na conjuntura com um setor do empresariado que começa a entrar em desespero para salvar seus lucros e procuram diretamente Bolsonaro para irem pressionar o STF contra o isolamento. Esses asquerosos capitalistas mostram que estão mais preocupados com a “morte do CNPJs” de suas empresas, do que com a “morte dos CPFs” dos trabalhadores. Isso mostra como esses empresários bilionários juntos com Bolsonaro não se importam nada com a vida de milhões de trabalhadores brasileiros. Assim como os próprios governadores já pensam formas de flexibilizar a quarentena sem oferecer testes massivos para a população, enquanto os SUS está colapsando, fruto de todas a políticas privatistas desses governos ao longo dos anos que vem destruindo a saúde pública em todo o país.

Fica cada vez mais nítido que só pelas mãos dos trabalhadores organizados que poderá vir uma saída para salvar as vidas que estão sendo destruídas pelos que hoje decidem os rumos da sociedade. Precisamos de testes massivos e máscaras para todos! Leitos nos hospitais, contratações emergenciais, reconversão das indústrias, taxação das grandes fortunas e fim do pagamento da dívida pública para poder financiar tudo isso! Frente às ações assassinas dos governos e patrões, nos mobilizamos por uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, organizada por nós, que estamos sendo as vitimas dessa pandemia, para que possamos decidir as leis e as formas de combater essa doença e o vírus chamado capitalismo.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Dias Toffoli   /    Governo Bolsonaro   /    STF   /    Política

Comentários

Comentar