Mundo Operário

TERCEIRIZAÇÃO METRÔ SP

Empresa da limpeza do Metrô repete Higilimp e deixa trabalhadoras sem ter o que comer

Como se não bastasse o salário de miséria que recebem, Metrô e empresa terceirizada deixam trabalhadores sem Vale Transporte e Vale Refeição no "Metrô mais limpo do mundo"!

André Bof

São Paulo

Felipe Guarnieri

Operador de trem da L1 azul do Metro de SP

segunda-feira 19 de setembro| Edição do dia

E o absurdo da terceirização no Metrô de São Paulo continua.

Além dos já corriqueiros salários baixíssimos, longas jornada de trabalho, baixo número de funcionárias e muito assédio das chefias, uma espécie de vitrine do que planejam os empresários para todos os trabalhadores ameaçados pelo projeto de terceirização de todas as funções em trâmite no Congresso, o desrespeito ao mínimo acordo trabalhista é lugar comum em se tratando da limpeza do Metrô de SP.

Se abre mais um capítulo da superexploração no Metrô mais limpo do mundo: na Linha 1-Azul, não contentes em atrasar o VR (vale-refeição) e VT (vale-transporte) em dois dias, sendo que deveriam ser pagos no último dia 17 à todas as trabalhadoras, a empresa terceirizada Soluções não soluciona nada e diz que a previsão é que o pagamento destes benefícios cheguem por volta do dia 23, se ocorrer...

Em meio a uma inflação enorme e a um custo de vida altíssimo devido a crise econômica e aos ataques dos empresários contra os direitos dos trabalhadores, a empresa do Metrô junto de mais uma das gananciosas empresas terceirizadas condenam as trabalhadoras dos fundões da periferia a trabalharem limpando o chão e realizando todo tipo de serviço pesado de limpeza sem ter como comer!

Este caso é apenas mais um na sequência de absurdos realizados por esta parceria nefasta entre Metrô e empresas de limpeza que, no começo deste ano, devido a suposta "falência" da empresa Higilimp, levou dezenas de trabalhadoras a perder seu emprego e não receber seus mínimos direitos trabalhistas, honorários, etc.

Um absurdo comum num sistema em que as relações entre as chefias e patrões são profundas e geram privilégios, impedindo que este serviço seja estatizado e as trabalhadoras possam ter os mesmos direitos dos trabalhadores efetivos.

Ajude a compartilhar este caso de absurdo desrespeito! Trabalhador não pode viver de vento!
Exigimos os direitos e não privilégios! Pelo pagamento imediato dos valores de VR e VT de todas as trabalhadoras terceirizadas da limpeza do Metrô!




Tópicos relacionados

Terceirização   /    Metrô   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar