Mundo Operário

CORONAVÍRUS

Empresa Fidelity não dá máscaras e não libera funcionários com suspeita de covid-19

segunda-feira 4 de maio| Edição do dia

O Esquerda Diári recebeu mais uma denúncia de uma empresa de Call Center desrespeitando as normas de procedimento durante a pandemia da covid-19 e colocando xs trabalhadorxs em risco em defesa de seus lucros. As informações são de uma denúncia recebida pelo Esquerda Diário.

A empresa Fidelity do site 7 de abril em São Paulo mantém as e os trabalhadores em um ambiente fechado, sem máscaras e sem proteção adequada e não está liberando os funcionários com suspeita de contágio pela covid-19 (novo coronavírus). A médica da empresa não está afastando ninguém e a empresa segue sem recomendar o uso de máscaras, que foi deixada por conta própria dos funcionários. O ambiente é fechado, com ar condicionado e sem janelas.

A empresa ainda alegou que o home office é uma opção muito cara, e, por isso, somente alguns funcionários tiveram esta opção de acordo com o desempenho. Os funcionários que eram do grupo de risco haviam sido afastados, mas a médica da empresa alega que o período deste afastamento terminou e agora começará a descontar as férias dos dias de isolamento. Os funcionários já estão voltando destas férias e estão ocorrendo aglomerações de pessoas dentro da empresa.

No período da pandemia, a empresa retirou a escala de folgas dos sábados e exigiu que todos fossem trabalhar de segunda à sábado. Exigiu ainda horas extras para contar para um banco de horas. O coordenador Sr.Ramon teria afirmado que estas medidas seriam para não ocorrer um desligamento em massa, redução de salário ou suspensão de contratos - quer dizer, os trabalhadores são jogados conta a parede pela empresa que os ameaça a ficar sem nada durante a pandemia.

Além disso, apesar da empresa se enquadrar no ramo de Telemarketing e o ramo ter sido considerado essencial pelo governo Bolsonaro, o trabalho feito no site 7 de abril não se enquadra aí, tendo nesta empresa inclusive um setor que trabalha com laudos para escritórios de advocacia para a defesa do Banco Bradesco, onde as audiências estão todas marcadas para longo prazo.

A denúncia recebida pelo Esquerda Diário mostra até onde vai a sede de lucro dos patrões: "estamos vivendo em constante perigo e com medo de levar essa doença para nossa família, por pura ganância e egoísmo dessa empresa."

Nós do Esquerda Diário nos disponibilizamos para todos os trabalhadores que estão sofrendo as consequências da pandemia e da crise econômica que atingem o país para que enviem suas denúncias dos absurdos que vêm sofrendo em seus locais de trabalho. Nossa vida e saúde valem mais do que os lucros dos patrões!

Estão te obrigando a trabalhar sem equipamentos de proteção? Estão demitindo no seu trabalho? Envie sua denúncia para o Esquerda Diário! Seja por texto, vídeo, fotos ou áudios.

Entre em contato via (11) 97750-9596




Tópicos relacionados

Jair Bolsonaro   /    Call Center   /    Telemarketing   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar