Política

CORRUPÇÃO

Emendas parlamentares liberadas por Temer caem após denúncia de corrupção ter sido esquecida

As emendas são pagas com dinheiro público. Segundo a base de dados do senado somando o valor das emendas de junho e julho, meses em que Temer estava barganhando emendas para fugir da denúncia de corrupção passiva, o valor empenhado foi de R$ 4,2 bilhões.

segunda-feira 4 de setembro| Edição do dia

O valor é exorbitante. Para entender melhor como os deputados e senadores se beneficiam das emendas parlamentares cabe entender o que elas são.

As emendas parlamentares são a moeda de troca para barganha entre os deputados estaduais, federais e senadores com o governo federal, pois os textos escritos por esses beneficiam suas regiões e seus interesses. Por meio dessas emendas os parlamentares continuam negociando o lucro dos poderosos, como foi o caso de Temer facilitando e perdoando a dívida de latifundiários recentemente.

Leia: Temer comprou votos da bancada ruralista facilitando a dívida de latifundiários

Em 2015 a Emenda Constitucional 86, que é outro tipo de emenda pois altera diretamente a Constituição, conhecida como PEC - Proposta de Emenda à Constituição - do orçamento impositivo garante que um valor mínimo seja empenhado pelo governo federal em emendas parlamentares. Em 2016 esse valor foi de 10 bilhões, ou seja, os deputados e senadores têm garantido um valor a receber pelas emendas que são sancionadas. Tudo isso para evitar a barganha entre o poder Legislativo e Executivo.

As emendas parlamentares são recursos previstos no Orçamento, cuja aplicação é indicada por deputados e senadores. O dinheiro tem de ser empregado em projetos e obras nos estados e municípios. Quando ocorre o empenho, o valor da emenda fica registrado em "contas a pagar", e o Executivo é obrigado efetuar o pagamento até o ano seguinte.

Empenhar a emenda não significa liberar o dinheiro para os parlamentares. Quando se executa a emenda é que de fato o dinheiro é liberado. Até agora, no ano de 2017 foram executados R$ 896 milhões, sendo que em agosto foram pagos R$ 826 milhões, mais de 90% do valor total, o que evidencia o que foi dito anteriormente, a fim de se livrar da denúncia de corrupção, o golpista Temer comprou apoio em troca de sancionar emendas parlamentares.

Aparentemente, Rodrigo Janot, o Procurador Geral da República, segundo comentários no meio político, tem mais denúncias contra Temer. Vamos avaliar o palco de cenas de horrores nos próximos dias em que Temer continuará usando do nosso dinheiro para se safar de suas denúncias e os parlamentares continuarão tendo dinheiro garantido para a corrupção.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Crise no governo   /    Corrupção   /    Brasília   /    Política

Comentários

Comentar