Política

PORTO ALEGRE

Em votação apertada, Câmara autoriza parcelamento de salários em Porto Alegre

segunda-feira 6 de março de 2017| Edição do dia

Foto: Câmara dos Vereadores

Por 17 votos a 16, a Câmara dos Vereadores de Porto Alegre aprovou nessa segunda-feira (6) veto de Marchezan que visa proibir um projeto de lei que impede o parcelamento do salário dos servidores municipais.

O projeto de lei foi feito pela vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) e visava proteger os servidores de um eventual parcelamento do salário, como foi pré-anunciado pelo prefeito Marchezan (PSDB) desde o fim do ano passado e como vem sendo feito pelo governador do estado do RS, José Ivo Sartori (PMDB), há meses.

A medida de parcelamento visa descarregar a crise econômica nas costas dos trabalhadores, bem como favorecer o poder econômico, em especial os banqueiros que acabam lucrando com a medida. A galeria da câmara estava lotada de servidores, com muitos professores, que estão mobilizados há semanas contra o decreto do prefeito que visa alterar a escala de trabalho da rede de ensino, precarizando o já sucateado sistema de educação público da cidade.

O veto também é aprovado em meio a um ataque da prefeitura, dessa vez ao conjunto da comunidade escolar da capital gaúcha, ao reduzir a quantidade de carne da merenda dos alunos.

Como se não bastassem as ameaças de privatização da Carris, a proposta de extinção do cargo de cobrador, os cortes de linhas no transporte público, a proposta de aumento da passagem, todos os ataques aos professores e comunidade escolar, agora Marchezan e boa parte dos vereadores da cidade avançam em cima do conjunto dos servidores da cidade. Dia 9 de Março, quinta-feira, vai haver uma assembleia de toda a categoria dos servidores para organizar a mobilização, que entre professores já vem sendo bem forte, a fim de resistir aos ajustes da prefeitura.

Veja como votou cada vereador de Porto Alegre sobre o parcelamento de salários dos servidores.




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Porto Alegre   /    Política

Comentários

Comentar