Cultura

CINEMA

Em repúdio ao reacionarismo de integrante da comissão, diretor de ’Boi Neon’ retira filme de disputa por vaga ao Oscar

quarta-feira 24 de agosto| Edição do dia

Nesta quarta-feira, 24 de agosto, a arte mostrou mais uma vez seu posicionamento político. Depois da polêmica sobre a extinção do Ministério da Cultura, que fez o governo golpista de Michel Temer voltar atrás, como apresentado aqui, devido à comoção de setores ligados à cultura, e o protesto contra o golpe no tapete vermelho em Cannes pela equipe do filme Aquarius, do diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, foi à vez do diretor do filme "Boi Neon", o cineasta Gabriel Mascaro se posicionar. O cineasta decidiu não inscrever seu filme na disputa pela indicação do Brasil ao Oscar de melhor filme estrangeiro e deixou registrado no facebook do filme:

Segundo declaração, o cineasta não se sente confortável em participar de um processo seletivo de interesse público que tem demonstrado imparcialidade questionável. Esta se refere à indicação de Marcos Petrucelli à comissão responsável por escolher o filme brasileiro que pode disputar uma vaga no prêmio americano. Isso porque Petrucelli comentou, em uma rede social, que o protesto realizado em Cannes teria sido no mínimo uma vergonha.

De acordo com o próprio Gabriel Mascaro, o filme Aquarius foi o único filme latino-americano da competição oficial de Cannes, sendo aclamado pela crítica internacional e, portanto, seria o candidato natural para disputar o Oscar. Devido a tal, Mascaro decide tirar seu filme da disputa em solidariedade à recepção politizada em torno de "Aquarius", além de encoraje outros filmes brasileiros em situação semelhante a pensar a legitimidade do processo, como relatou a Folha.

Estas demonstrações de força política evidenciam os meandros do sistema capitalista, que além de explorar também tenta garantir pela opressão o ideal de uma única classe silenciando toda a forma de expressão contrária. Atitudes como estas retomam um dos vieses da cultura: a politização da classe trabalhadora. Desta forma, atitudes como esta, de solidariedade entre os trabalhadores da cultura devem ser reivindicados, pois a libertação da cultura e o combate aos ataques dos governos precisam da unificação das lutas.

Veja abaixo o trailer do filme Boi Neon:




Tópicos relacionados

Cinema   /    Cultura

Comentários

Comentar