Mundo Operário

TERCEIRIZAÇÃO

Em novo pregão, terceirizada Liderança ganha concessão das bilheterias das Linhas 1 e 3 do Metro de SP

Este é o segundo edital de terceirização das bilheterias realizado pela Companhia do Metropolitano de São Paulo, a primeira concessão foi dada a empresa Liderança Serviços.

sexta-feira 28 de setembro| Edição do dia

No dia 26 de julho o Metrô de SP publicou novo edital (https://www.imprensaoficial.com.br/ENegocios/popup/pop_publicacaodeabertura_14_4.aspx?IdLicitacao=1254858&IdEventoLicitacao=3918469) para a licitação das bilheterias de todas as estações das linhas. A novidade é que agora estão entre todas as estações das Linhas Azul e Vermelha do Metrô. O pregão eletrônico ocorreu no dia 31 de agosto, após adiamento, e as vencedoras foram a Liderança Limpeza e Conservação Ltda. com as Linhas 1- Azul e 3- Vermelha (além da 2 - Verde que já está sob sua concessão) e a empresa C. Lorenzo Serviços com as Linhas 4 - Amarela e 5 - Lilás que estão sob gestão da CCR.

Este é o segundo edital de terceirização das bilheterias realizado pela Companhia do Metropolitano de São Paulo, a primeira concessão foi dada a empresa Liderança Serviços. Não foi divulgado pelo Metrô de SP a razão de uma nova licitação, mas o que se sabe é que ao longo do último ano tiveram vários problemas vistos pelos metroviários na operacionalização do serviço, bem como roubos nas bilheterias, dos quais a empresa Liderança era responsável.

A terceirização das bilheterias do Metro de SP teve início em 2017 com a Linha 5 - Lilás, hoje privatizada e sob gestão da CCR. A concessão das bilheterias da Linha Lilás estava com a terceirizada Liderança e a partir deste novo edital passaria a ser operacionalizada pela C. Lorenzo Terceirização. Neste ano, também foram terceirizadas as bilheterias da Linha 2 - Verde pela Liderança que é estatal e gerida pelo Metro de SP.

Como viemos denunciando no Esquerda Diário (http://www.esquerdadiario.com.br/Sindicato-descobre-contrato-de-privatizacao-das-bilheterias-do-Metro-de-SP), o Metrô de SP paga a estas empresas cerca de R$ 3000,00 por funcionário, mas o salário recebido pelos trabalhadores das empresas é bem menor que isso, ganhando um terço daquilo que recebe um metroviário. A terceirização das bilheterias do Metro de SP vem dando diversos problemas operacionais reconhecidos pelos metroviários, além das filas intermináveis e transtornos causados aos usuários (http://www.esquerdadiario.com.br/Bilheteria-terceirizada-causa-filas-interminaveis-e-transtorno-a-usuarios-do-Metro-de-SP)

Os próprios funcionários da empresa Liderança dizem: "Além de termos o salário bem abaixo do que os funcionários concursados, não temos treinamento, somos ‘’jogados’’ na bilheteria e temos que nos virar nos trinta, já tive descontos do meu salário por preenchimento errado, além de perda de benefício. A dificuldade em ter um emprego era grande, mas estou à procura de um novo, tendo em vista que enquanto a gestão for feita desta forma, o prejudicado será sempre o funcionário."

Veja mais aqui: "Somos ‘jogados’ na bilheteria", denuncia nova funcionária terceirizada do Metrô de SP (http://www.esquerdadiario.com.br/Somos-jogados-na-bilheteria-denuncia-nova-funcionaria-terceirizada-do-Metro-de-SP)
Sob o pretexto de redução de custos, o real objetivo da terceirização é retirar as funções que hoje são realizadas pelos metroviários das estações (uma delas a venda de bilhete) para avançar no modelo de gestão das linhas privatizadas que contam com trabalhadores que realizam mais de uma função (são agentes de segurança e de estação ao mesmo tempo). Esta medida é parte do processo de privatização do Metro de SP. Além disso, também funciona como forma de dividir os trabalhadores entre efetivos e terceirizados, como uma via de enfraquecer a força que existe na unidade dos metroviários, já demonstrada em diversos processos de mobilização.

"Frente a mais este ataque contra os serviços públicos desferido pelo Metro de SP, na gestão do agora governador e candidato Marcio França (PSB). Votamos na última assembleia uma greve contra a privatização da Linha 15 no dia 24/10, mas é necessário e urgente organizar a luta na base da categoria. Não podemos depositar nenhuma confiança em reuniões à portas fechadas com meia dúzia de diretores e gerentes da empresa e com o governador como se isso fosse adiantar", diz Fernanda Peluci, metroviária da Estação Anhangabaú e reintegrada.

"Parte da diretoria do Sindicato dos Metroviários ligada a CUT e a CTB confia nesta estratégia. Já pudemos ver que está fadada ao fracasso e nos levará a um beco sem saída, pois em 2017 estas mesmas centrais sindicais traíram as mobilizações massivas em todo o país, contendo a raiva de milhões de trabalhadores para derrotarmos a Reforma Trabalhista. Somente a auto organização dos trabalhadores metroviários em cada local de trabalho, em conjunto com a população usuária do transporte público, pode barrar os ataques que cedo ou tarde virão, pois os patrões querem descarregar ainda mais a crise capitalista em nossas costas" complementa.

Abaixo segue as atas de realização dos pregões eletrônicos estão disponíveis nestes links:

Linha 1 - Azul

(https://www2.bec.sp.gov.br/bec_pregao_UI/Ata/becprp17001.aspx?FncF%2biFUVKwTaWDenEdCqfQLWQ%2fMqlsi5d%2fH9%2finM9Qo31HX5gofd92s%2fqKW6gT2)

Linha 2 - Verde e Linha 15 - Prata

(https://www2.bec.sp.gov.br/bec_pregao_UI/Ata/becprp17001.aspx?FncF%2biFUVKwTaWDenEdCqU2rvFBAging%2fakO0P1bzruLG5nde85kfFwdz4GQh64o)

Linha 3 - Vermelha

https://www2.bec.sp.gov.br/bec_pregao_UI/Ata/becprp17001.aspx?FncF%2biFUVKwTaWDenEdCqQ2cmcOxQLyJeU7w1JpVF5mYSYQe7nqdfO9K4YQmpWR7

Linha 4 - Amarela

(https://www2.bec.sp.gov.br/bec_pregao_UI/Ata/becprp17001.aspx?FncF%2biFUVKwTaWDenEdCqek%2bKY1MXCAho0BvS8QK0FDF5BpV2mbHe6pu6FzvDKHx)

Linha 5 - Lilás

(https://www2.bec.sp.gov.br/bec_pregao_UI/Ata/becprp17001.aspx?FncF%2biFUVKwTaWDenEdCqVrvXGCOvBkVqm6kgxu4vkKNarKjiES7c5g7LeomgGK5)




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Direitos Trabalhistas   /    Privatização   /    Terceirização   /    Metrô   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar