Política

DENUNCIA CONTRA TEMER

Em meio à trocas de favores e negociatas, denúncia contra Temer irá a votação dia 25

A partir das 9 horas do dia 25 os deputados devem debater o parecer da Comissão de Constituição e Justiça. Deputados da Câmara vão analisar na próxima quarta-feira, 25, o pedido do STF de processo por crime comum contra o presidente Temer juntamente com os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria Geral. Após manobras com os deputados para alcançar um parecer favorável da CCJ ao arquivamento da denúncia, o presidente golpista espera uma nova vitória no Plenário. Mais uma vez fica escancarado que a tônica do Congresso Nacional é constituída pelo jogo sujo dos privilegiados, pela troca de favores e a impunidade.

sexta-feira 20 de outubro| Edição do dia

A atividade de Temer esteve concentrada nos últimos dias em preparar mais uma esquiva com relação às denúncias da Procuradoria Geral da República. Parte fundamental desse empenho se vê no resultado do parecer da CCJ que, contrário à autorização por recomendação do deputado Bonifácio de Andrada, lhe garante um passo rumo à sua impunidade. A denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) acusa Temer e os ministros de formação de quadrilha e obstrução de Justiça com o intuito de arrecadar propinas, estimadas em R$ 587 milhões.

Parte das manobras do presidente golpista consistiu na exoneração do cargo de 8 ministros que têm mandato de deputados federais, o que lhe renderá votos favoráveis no dia 25. Também está na lista de favores de Temer a retirada do Aeroporto de Congonhas da lista de privatizações, a partir de negociação com o ex-deputado do PR, Costa Neto, que possui influência sobre uma bancada de 37 deputados do seu partido, bem como no setor dos transportes. Os mesmos métodos fisiológicos são empregados em nome de salvaguardar a pele de Temer, bem como manter os mecanismos de subsistência de seus aliados. Nesse cenário são inseridas as trocas de favores, as negociações de Medidas Provisórias, cargos etc. Novamente ficam escancaradas as veias podres de um sistema de governo capitalista, no qual a corrupção é intrínseca.

Fica, assim, evidente que mais um caminho já conhecido para a impunidade de Temer, Aécio, dos empresários corruptos será garantido pelo Congresso, mas também não está por fora desse jogo sujo o Judiciário, que avança em medidas autoritárias e sempre preserva os próprios privilégios e o privilégio dos políticos corruptos, a despeito de suas demagogias. Exatamente por esse motivo é que nunca são expropriadas suas fortunas, prevalece sua liberdade e impunidade. Um julgamento sério deveria partir desse confisco, bem como ser conduzido e decidido por juri popular, afinal não serão os próprios enlameados a julgar com seriedade as sujeiras postas no lamaçal que é a política tradicional.

A grande batalha travada pelos trabalhadores do município de Porto Alegre e pelos professores do Estado do Rio Grande do Sul deve ser um guia para todos os trabalhadores e oprimidos do país. Cada falcatrua do golpista Temer e seus aliados, bem como cada ação do Judiciário, está em favor de preparar a casa para a aprovação de ataques ainda mais profundos contra os trabalhadores e o povo pobre. Esses políticos corruptos esperam implementar a Reforma Trabalhista e aprovar a Reforma da Previdência e devemos seguir o exemplo dos trabalhadores do Rio Grande do Sul que mostram o caminho para se enfrentar com os governos: a greve e manifestação massiva está ameaçando os planos de Machezan e de Sartori. Façamos como os trabalhadores do Rio Grande do Sul, a partir de uma solidariedade ativa à sua luta como primeira medida de fortalecer esse contraponto nacional que poderá ser um exemplo nacional para derrotar Temer e as Reformas.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar