Política

GLOBO X TEMER

Em guerra, Temer cobra dívidas da Globo e a emissora se aproxima de Rodrigo Maia

De acordo com o Portal IG, Temer e Globo estão em guerra. Após uma tentativa fracassada de negociar por meio de Moreira Franco que a editora suspendesse seus ataques ao presidente, ele decidiu contra-atacar atacando economicamente a emissora. E essa reagiu se aproximando de Rodrigo Maia em sua disputa para suceder Temer.

Fernando Pardal

@fepardal

terça-feira 18 de julho| Edição do dia

Desde que foi veiculada a denúncia de Joesley Batista, o país tem visto a movimentação cada vez mais explícita da Globo em abandonar o barco do governo de Michel Temer para tentar apostar em novas formas de levar adiante as reformas contra os trabalhadores.

A Globo, que, como todos sabem é uma emissora nascida com a "benção" do regime militar, tem uma sólida experiência em influir das maneiras mais manipuladoras - e em geral bem sucedidas - no cenário político do país. Quem não se lembra do famigerado debate do segundo turno das eleições presidenciais de 1989, cuja manipulação feita por meio de edição exibida no jornal nacional para favorecer Fernando Collor já foi admitida explicitamente pelo todo poderoso Boni, diretor da emissora?

Agora, Globo dispara contra Temer, e ele quis negociar uma trégua, de acordo com o portal IG. Eles afirmam que há cerca de dois meses Temer enviou Moreira Franco pessoalmente para pedir uma "trégua editorial" à emissora dos irmãos Marinho. Pedido negado, o presidente articulou uma ofensiva econômica pesada: queria editar uma Medida Provisória que instituiria a taxação anual em milhões de reais para as concessões de emissoras televisivas.

O que o portal afirma é que a MP só não foi levada adiante porque as outras emissoras que nada tinham a ver com a disputa (inclusive uma delas, o SBT, que vem fazendo acordos com Temer para apoiar as reformas), Band, SBT e Record, entraram na jogada para dissuadir o presidente. Frente à possibilidade de ver sua briga multiplicada por todo o império midiático capitalista da televisão brasileira, Temer recuou.

Ele foi ao plano B: cobrar dívidas da emissora de impostos e do BNDES. Como foi veiculado recentemente, a Globo teria feito uma grande manobra fiscal para evitar pagar um bilhão de reais em dívidas.

Foi dito ainda pelo IG que o ataque de Temer foi mencionado indiretamente por Roberto Irineu Marinho, um dos herdeiros da emissora, na inauguração da nova redação do jornal nacional. Ele teria dito que o grupo já pagou bilhões de reais em impostos nos últimos anos.

Temer tenta ainda contrabalancear o peso dos ataques da Globo utilizando a EBC - Empresa Brasileira de Comunicação, mas é evidente que seu peso perto do império global é ínfimo.

A Globo, por sua vez, contra-atacou as medidas econômicas de Temer aproximando seus executivos de Rodrigo Maia para endossar sua campanha pela sucessão presidencial e a queda de Temer.

Diz o IG: "São constantes as conversas de Maia com o vice-presidente de relações institucionais da Globo, Paulo Tonet. Almoçaram juntos domingo passado."

Nessa guerra entre os "de cima", podemos saber que se há um interesse que os unifique é o de nos atacar para manter seus privilégios. E nós devemos explorar essa divisão para lutar contra ambos.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar