Política

Em entrevista cínica, Bolsonaro diz que ano se encerra sem caso de corrupção

terça-feira 24 de dezembro de 2019| Edição do dia

Não foi só o ministro da Justiça Sérgio Moro que teve a cara deslavada de afirmar que o primeiro ano de gestão de Bolsonaro se encerra sem escândalos de corrupção. O próprio presidente em entrevista ao programa do SBT, Poder em Foco, declarou que o ano se encerra sem nenhum caso de corrupção.

Obviamente, que para essa afirmação, o presidente passou por cima de toda a repercussão das investigações em relação ao seu filho, o senador Flavio Bolsonaro. Flavio Bolsonaro está sendo investigado mais uma vez sobre lavagem de dinheiro. O Ministério Público (MP) do Rio o investiga por participar de um esquema de “rachadinha”, em que o servidores são coagidos pelos parlamentares a transferir parte de seus salários para eles, no gabinete da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) quando foi deputado estadual. Além de Flávio Bolsonaro, o seu ex-assessor Fabrício Queiroz e os parentes da ex-mulher do Presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle, são investigados.

Veja mais: MP-RJ aponta envolvimento de Flávio Bolsonaro em lavagem de dinheiro de R$ 638 mil-> https://www.esquerdadiario.com.br/MP-RJ-aponta-envolvimento-de-Flavio-Bolsonaro-em-lavagem-de-dinheiro-de-R-638-mil]

O cerco se estreita em relação a Bolsonaro, pois ainda que queira se esquivar da denúncia alegando que se trata apenas do seu filho, o caso também relaciona sua mulher Michelle Bolsonaro, que recebeu um cheque de R$ 24 mil de Fabrício Queiroz.

As investigações do MP-RJ se inserem no quadro de disputas entre Witzel e o clã Bolsonaro. O quanto se aprofundarão as investigações que golpeiam a imagem do presidente, ficará a cargo dos atores do bonapartismo institucional que usam a investigação como condicionante de Bolsonaro para que não se desvie do trilho da aplicação das reformas econômicas.

Diferente da cara de pau de Bolsonaro, a percepção da população, segundo a última pesquisa do Datafolha, piorou no quesito combate a corrupção: 50% dos entrevistados consideram o combate a corrupção pelo governo ruim ou péssimo, ante 44% na pesquisa de agosto.

Além do caso Flavio, Bolsonaro também possui em sua órbita o escândalo do caso dos laranjais do PSL, que envolve diversos políticos de seu ex-partido, além do ministro do Turismo protegido por ele. Por mais que Bolsonaro queira se afastar da "velha política" ele está enredado até a cabeça nela. Foi através de seus métodos, como a liberação de bilhões das emendas parlamentares que Bolsonaro conseguiu os votos necessários para aprovar a reforma da previdência e atacar os trabalhadores.

Foto por: Adriano Machado/Reuters




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar