JUVENTUDE FAÍSCA

Em cada local que estamos: 80 tiros não é engano, é política de Estado!

Intervenção da Juventude Faísca em algumas das universidades e cursos onde estamos denunciando como a política racista de Bolsonaro, Moro e Witzel é responsável pelo extermínio de Evaldo Santos.

quarta-feira 10 de abril| Edição do dia

Durante esta terça-feira (09) nós, da Juventude Faísca, fizemos intervenções em alguns dos locais de estudo onde estamos presentes em memória de Evaldo Rosa dos Santos, músico, pai, negro brutalmente assassinado por 80 tiros disparados por militares do Exército no Rio de Janeiro na tarde desse domingo (07), enquanto estava no carro com seu filho de 7 anos, sua sobrinha de 13, sua esposa e seu sogro à caminho de um chá de bebê.

Os 80 tiros que atingiram o carro de Evaldo Rosa dos Santos são resultado direto da política racista e pró-polícia e forças armadas de Jair Bolsonaro, Sérgio Moro e Witzel. O “pacote anti-crime” de Sérgio Moro garante impunidade aos agentes do estado em serviço que cometem execuções caso aleguem “medo, surpresa ou violenta emoção” assim, dando carta branca para exterminar a população jovem, negra e trabalhadora.

Em cada local que estamos é necessário denunciar essa política de Estado racista e assassina, inimiga da classe trabalhadora e da população preta e pobre.
Não foi engano, Evaldo Presente!

Intervenção no curso de Pedagogia – Faculdade de educação da USP.

Intervenção no curso de Ciências Sociais da USP.

Vídeo: Intervenção no Bandejão da UFRGS.




Comentários

Comentar