Sociedade

DESIGUALDADE E MORTALIDADE INFANTIL

Em bairros pobres de SP, mortalidade infantil chega a ser 27 vezes maior que em Perdizes

terça-feira 5 de dezembro| Edição do dia

Foto: Oliveiro Pluviano/ Sem data

Segundo o Mapa da Primeira Infância, a chance de uma criança em seu primeiro ano de vida morrer na Sé é 20 vezes maior do que em Perdizes, na Zona Oeste. Na Sé, a cada mil crianças nascidas vivas, cerca de 21 morrem antes de completarem seu primeiro ano de vida, como registrado em 2016.

Já a chance de uma criança morrer antes de completar cinco anos de idade no Pari é quase 27 vezes a taxa de Perdizes.

O centro, não à toa, apresenta alta densidade demográfica e condensa os problemas estruturais da cidade, escancarando suas desigualdades.

Também no que tange à mortalidade materna, importante indicador sobre a infância, no Jaguará chega a ser 12 vezes maior do que no Sacomã, sendo a mais alta, enquanto o índice de pré-natal insuficiente é 8 vezes maior no Jardim Helena, zona Leste, do que no Itaim Bibi, zona Oeste.

Na zonal Sul, a gravidez na adolescência é 25 vezes maior no Marsilac do que em Moema.




Tópicos relacionados

mortalidade infantil   /    Sociedade   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar