DEMISSÕES

Em apenas um mês, setor de eletroeletrônico demite 1 078 trabalhadores

Segundo levantamento realizado pela Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), só no mês de junho deste ano 1.078 trabalhadores do setor de eletroeletrônica foram demitidos, entrando para o terceiro mês consecutivo em que o setor realiza grandes demissões.

terça-feira 24 de julho| Edição do dia

De janeiro a março deste ano, o setor realizou muitas contratações, no entanto, nos meses seguintes, de abril a junho, veio sofrendo um refluxo demitindo milhares de trabalhadores desde então.

Para o presidente da Abinee, Humberto Barbato, os fatores das baixas são as incertezas políticas da conjuntura, redução nas projeções de crescimento do PIB, valorização do dólar e impacto da greve dos caminhoneiros.

Mas a realidade é um pouco mais simples: em momentos de crise, quem paga são os de baixo, para que os patrões sigam lucrando independente das condições econômicas. Para além disso, nos últimos tempos vem se dando uma verdadeira ofensiva imperialista diante de países como o Brasil.

Países ditos "emergentes" como o Brasil passam por esta profunda crise econômica enquanto os lucros dos capitalistas seguem intactos, e mesmo o pagamento da dívida pública segue sendo impecavelmente realizado, mostrando enorme subordinação dos governos brasileiros ao mercado internacional. Enquanto esta sangria dos recursos segue intacta, os trabalhadores são afetados com demissões, desemprego, reformas e privatizações.

É tarefa das centrais sindicais, que dirigem os principais sindicatos do país, romper com seu imobilismo e trégua e organizar um forte plano de lutas contra as demissões e os desdobramentos da crise.




Tópicos relacionados

Demissões   /    crise econômica   /    Indústria

Comentários

Comentar