Mundo Operário

METRÔ DE SP

Em ano eleitoral, o metro de SP troca empresa terceirizada deixando trabalhadoras na mão

Rodrigo Tufão

Metroviário, cipista da linha 1 Azul São Paulo

terça-feira 17 de abril| Edição do dia

As trabalhadoras da empresa Soluções, que presta serviço de limpeza na linha 1 azul do metro de SP, estão sendo chantageadas para que peçam demissão e deixem de receber seus direitos trabalhistas, em troca de serem contratadas pela nova empresa que irá assumir a limpeza da linha. Quem não pedir demissão não será aproveitada pela nova empresa. Essa prática de assédio moral para driblar as leis trabalhistas, não pode ser aceita pelas trabalhadoras.

Em ano eleitoral, o metro de SP troca a empresa terceirizada, que presta serviço no linha 1. Uma coincidência impressionante, bem quando Alckimin sai do governo para disputar as eleições presidenciais, novas licitações surgem nas empresas estatais. Tudo isso a custas dos empregos de centenas de trabalhadoras, que já trabalham com salários e direitos reduzidos e agora não tem a certeza se vão continuar empregadas.

Além do assédio para pedirem demissão, a empresa Soluções só pagou 5 dias de vale transporte esse mês. Estão assediando de todas as formas,para que no desespero as trabalhadoras aceitem as chantagens dos donos corruptos dessas empresas.

Os gestores do Metro não tem o mínimo pudor, em deixar esse tipo de situação correr solta dentro da empresa. Não se importam com as centenas de vidas humanas, que trabalham em condições precárias, com salários baixos e que agora vivem uma pressão psicológica brutal, não sabendo se vão estar empregadas amanhã. Para esses gestores do Metro, a única coisa que importa são suas planilhas de custo e a manutenção de seus cargos com super salários. Para isso, fazem de tudo. Protegem os corruptos e jogam as trabalhadoras na humilhação que essas empresas terceirizadas praticam todos os dias.

Não podemos admitir isso. Além da corrupção orgânica nesses processos de terceirização e privatização, agora estão assediando para não pagar os mínimos direitos trabalhistas. Nós da Cipa linha 1 vamos cobrar e denunciar essa prática de assédio promovida pela empresa Soluções e abençoada pelos gestores do Metro. Chega de corrupção! Chega de assédio moral!




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Terceirização   /    Metrô   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar