Política

VIOLÊNCIA POLICIAL

Em PE, policiais agridem estudante por causa de livro marxista em sua mochila

Além de agredirem, também chamaram a estudante de “terrorista” e que “Bolsonaro ia acabar com tudo isso”.

segunda-feira 2 de dezembro| Edição do dia

No último dia 09 de novembro, no centro da cidade Petrolina, em Pernambuco, um grupo de policiais agrediu uma estudante negra, Camila Roque, a caminho da faculdade. O motivo seria que os policiais a abordaram, junto com outras amigas, e que acharam um livro de “teoria marxista” em sua mochila.

Após abordarem a jovem com suas amigas, a jovem foi chamada de “terrorista” e os policiais teriam dito que “Bolsonaro ia acabar com tudo isso”, segundo palavras da própria Camila. Os agentes, mesmo não podendo segundo a lei, revistaram suas mochilas e encontraram o livro, afirmando que ele seria “confiscado”.

Logo após se retirarem devido questionamento da estudante, os policiais retornaram e lhe acertaram um soco no olho. Nesse momento ela foi atacada como “terrorista” como chamavam os policiais. Camila fez boletim de ocorrência, mas a delegacia não divulgou o nome dos policiais em operação no dia. Caso foi denunciado à Comissão de Direitos Humanos da OAB e ao Ministério Público.

Não é raro os casos de agressão motivados pelo ódio Bolsonarista. Desde Marielle, Mestre Moa e tantos outros agredidos ou mortos nas ruas, motivados pelos discursos de extrema direita de Bolsonaro, até hoje casos como esse não param de repercutir. É necessário dar um basta à esses ataques e para isso é mais que necessário derrotar Bolsonaro nas ruas, se inspirando nos exemplos de luta na América Latina que não param de crescer.




Tópicos relacionados

Natal   /    violência policial   /    Política

Comentários

Comentar