Educação

GREVE DA EDUCAÇÃO

Em Minas Gerais, a greve da educação continua!

Assembleia lotada, com mais de 6 mil trabalhadores da educação do estado de Minas Gerais, aprova a continuidade da greve.

terça-feira 28 de março de 2017| Edição do dia

Trabalhadores da educação da rede estadual de Minas Gerais acabam de votar pela continuidade da greve, contra as reformas da previdência e trabalhista e os demais ataques aos direitos dos trabalhadores que seguem sendo aprovados pelo governo golpista. Com mais de 6 mil professoras, professores e trabalhadores da educação de todo estado presentes, a assembleia e a greve são as maiores desde a greve da educação mineira de 2011.

Após a assembleia, teve início um grande ato da educação, unificando a rede estadual de Minas Gerais e as redes municipais de Belo Horizonte, Contagem e Betim, que reuniu mais de 10 mil pessoas. O ato se concentrou na Praça da Assembleia e seguiu pela avenida Amazonas até a Praça Sete e depois para a Praça da Estação.

O Esquerda Diário, presente na assembleia e construindo também a greve da educação, falou com Flavia Valle, professora em greve da Escola Estadual Helena Guerra, de Contagem, militante do Movimento Nossa Classe e dirigente do MRT, que levantou a exigência a que as centrais sindicais organizem uma paralisação nacional imediata, assim como a necessidade de que em cada local de trabalho e estudo se criem comitês massivos, para debater um plano de luta concreto que possa tornar real a ideia de greve geral no nosso país. Confira a entrevista abaixo:




Tópicos relacionados

Juiz de Fora   /    Contagem   /    Educação   /    Professores   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar