Mundo Operário

CEARÁ

Em Fortaleza trabalhadores da saúde protestam frente as mortes pela Covid-19

A Praia de Iracema, neste domingo, dia 21 de junho, amanheceu com o protesto de profissionais da saúde exigindo melhores condições de trabalho e denunciando que a grande maioria das mortes poderiam ser evitada se não fosse a administração genocida da crise sanitária por parte de Bolsonaro e dos governadores.

segunda-feira 22 de junho| Edição do dia

Foto: Nilton Alves

Cruzes simbolizam as mortes pela pandemia e faixas denunciavam os médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde acometidos pela doença. O Brasil é um dos países recordistas em mortes de profissionais da saúde pela Covid-19. Médicos, enfermeiros e psicólogos no ato denunciaram a situação precária e exigiram investimento e defesa do SUS

No Ceará o número de casos da doença tem se aproximado de 100 mil e o número de mortes registrado é de 5.520. Apenas a capital Fortaleza, registrou 3.108 destas mortes. Assim como outras regiões do país a taxa de leitos de UTIs ocupados ultrapassou o 70%. Exatamente quando irresponsavelmente prefeitos e o governador, Camilo de Santana (PT) reabrem o comércio, e negligenciam a necessidade de testes massivos e amparo a população vulnerável. O governador do Estado, mesmo frente aos números que evidenciam claramente o avanço da pandemia, avança ainda mais a partir de segunda feira dia 22 na flexibilização e na reabertura do comércio, de estabelecimento religiosos e restaurantes. Medidas que, como denunciamos aqui não só aumenta o risco a população, trabalhadores da saúde e a sobrecarga dos sistemas de saúde, como evidenciam a insuficiência e demagogia da política do PT nos Estados que governa, exatamente, quando faltam leitos de UTI e testes para a população, Camilo de Santana sede a empresários isentando dívidas e negligenciando a crescente contaminação dos profissionais da saúde.

A política do PT, que Camilo Santana exemplifica tão bem, não pode dar uma resposta contundente a crise sanitária, pois deixa intacta as características capitalistas ao buscar se mostrar como uma saída viável para administrar o Estado dos empresários. Apenas os trabalhadores, com seus próprios métodos de luta, podem conquistar testes massivos, estatização dos leitos privados. Enquanto os sistemas de saúde e os setores da economia fundamentais para se combater a pandemia estiveram nas mãos dos empresários e de seus políticos os custos humanos frente a pandemia serão imensos. É fundamental a partir da perspectiva dos trabalhadores, planificar a economia com o objetivo de salvar vidas, realizando a reconversão industrial do que for necessário para produzir EPIs, respiradores e insumos farmacêuticos. Para isso também é de sua importância parar a sangria de dinheiro público que a população perde devido ao pagamento da dívida. Está na luta dos trabalhadores e da população a chave para enfrentar a pandemia e evitar ainda mais mortes.




Tópicos relacionados

Crise do Coronavírus   /    COVID-19   /    Crise capitalista   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar