LGBTFOBIA EM CAMPINAS

Em 24h, duas LGBTs são assassinadas a facadas em Campinas

Na última semana, Campinas foi palco de dois crimes atrozes contra LGBTs, assassinadas a facadas, poucos dias após o ato que balançou a cidade contra a liminar da “cura gay”.

sexta-feira 29 de setembro| Edição do dia

No domingo (24), o LGBT Spencer Netto, de 25 anos, cabeleireiro, foi encontrado morto, por volta das 10h, em um descampado no bairro Boa Vista de Campinas. Seu corpo apresentava sinais de facadas, com perfurações nas costas e pescoço, e seu rosto estava desfigurado por pauladas.

A cerca de 10 km, a travesti Bruna também foi encontrada morta, com uma única facada no peito, na região do bairro Ponte Preta de Campinas.

A Polícia Civil afirma descartar a possibilidade de os assassinatos estarem relacionados.

Ainda assim, esses crimes escandalosos demonstram a face mais cruel da LGBTfobia que oprime milhares de gays, lésbicas, bissexuais, trans e travestis todos os dias em Campinas. A cidade havia sido sacudida há poucos dias pelo ato contra a liminar da “cura gay”, quando centenas tomaram as ruas para gritar que LGBT não é doente. O Judiciário e políticos como Bolsonaro, Frota e Campos Filho, que patologizam as LGBTs e querem impedir os debates de gênero e sexualidade nas escolas, têm as mãos sujas do sangue de Spencer, Bruna e milhares de outras LGBTs.

Nós do Esquerda Diário nos solidarizamos com os amigos e familiares das vítimas e chamamos todas e todos a construírem o ato “Por Nenhuma Bruna E Spencer Netto a Menos! Basta De Lgbtfobia!”, que será amanhã (30/09) às 15h e sairá do Largo do Rosário.

Spencer Netto e Bruna: presentes!




Tópicos relacionados

LGBT   /    Campinas

Comentários

Comentar